• Postado por Tiago

Quem passa pela estrada geral da Santa Lídia, na parte do bairro que ainda pertence à city de Navegantes, toma um susto com o cenário de devastação. De um lado da rua, uma empresa de mineração depena um morrinho. Do outro, montes de casca de palmeira real se amontoam com entulho, e no terrenão logo atrás, dezenas de tocos de árvores cortadas enfeiam a paisagem da área rural. Ontem à tarde, nenhuma otoridade soube explicar sobre a razão do desmatamento.

O superintendente da fundação do Meio Ambiente dengo-dengo, Paulo Mafra, disse que desconhecia a derrubada. “Acredito que seja corte de palmeira real, que tem a autorização. Qualquer espécie cultivada pode ser cortada”, explicou o barnabé, que ainda afirmou que não tinha visto os tocos de árvores cortadas. Já na Fatma de Itajaí, responsável também por Navega, o gerente Gabriel Santos Souza não se encontrava na tarde de ontem.

  •  

Deixe uma Resposta