• Postado por Tiago

Hoje, grande parte dos problemas encontrados no meio ambiente não está na falta de normas, leis, procedimentos ou regras, mas na falta de informação e conscientização das pessoas, principalmente por ignorarem o quanto elas mesmas podem contribuir para o declínio da qualidade do meio-ambiente.

Todas as nações têm percebido os efeitos causados pelo uso inadequado dos recursos naturais. Até porque as questões complexas como a mudança climática, efeito estufa, o desaparecimento da biodiversidade, a produção de armas nucleares, as chuvas ácidas, o crescimento demográfico etc., dizem respeito a todos os habitantes do planeta, não obedecendo aos limites das fronteiras nacionais.

A partir dessa problemática, no dia 5 de junho é comemorado o dia Mundial do Meio Ambiente. Criado a partir da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, no ano de 1972, em Estocolmo, Suécia, com a finalidade de instituir critérios igualitários a todos os povos para a preservação do meio ambiente. Inúmeros são os projetos, promessas e leis que operam no sentido de desenvolver soluções para se atingir a saúde e o equilíbrio ambiental adequado para a sobrevivência de todos os seres.

Nesta data “comemorativa”, é preciso saber que estamos chegando ao ponto em que ações em favorecimento de um meio ambiente equilibrado só serão realmente vistas, após mudanças de concepção das pessoas quanto à sua existência, aos seus atos com relação aos outros e ao ambiente ao seu redor, tanto natural como social e que não há mais tempo para desenvolvimento sustentável e sim para uma readequação de atitudes quanto ao uso e consumo dos recursos naturais.

Ass: Rafael Camargo Souza,

biólogo e integrante da ONG Voluntários pela Verdade Ambiental

(Transcrito ipsis litteris)

  •  

Deixe uma Resposta