• Postado por Tiago

INTERNA_15_abre-esquerda_balsa-do-barranco-_foto-brigitte-bardot-(3)

Mestre Valmir confirma a encheção de saco e diz que até já pensou em pedir demissão

A diarista Ivani Martins de Oliveira, 48 anos, procurou o DIARINHO pra meter a boca na galera que vive reclamando da balsa do barranco, que faz a travessia do rio Camboriú, em Balneário Camboriú. A diarista diz que o pessoal enche seus ouvidos todas as manhãs se queixando injustamente da demora na fila, da lerdeza na travessia e da quantidade de pessoas que é posta dentro do barquinho.

?Demora só pra embarcar e mesmo assim é de sete a 10 minutos. Não demora muito, mas o povo não quer ficar na fila esperando. Quer chegar ali e logo embarcar?, relata Ivana, que mora na comunidade do Barranco. Ela atravessa todos os dias pra trampar no centro de Balneário Camboriú e conta que o chororô rola todo início de manhã e fim de tarde, nos horários de pico.

Também usuário da balsa, o vigilante Cláudio Prateate, 35, faz coro com Ivani. Garante que não tem do que reclamar e até curte a travessia. ?Antes era utilizado um barquinho, sem segurança, com um senhor que cobrava R$ 1 e demorava mais ainda e ninguém falava nada?, disse.

Até o barqueiro sofre

Valmir Borba, 52, operador da balsa, diz que até já apresentou o reclamo do povão para seu chefe, o empresário Domingos Pinheiro. Sugeriu que fossem colocadas 30 pessoas dentro do barquinho por viagem e aí acabar com o reclamo do povão. ?O patrão não deixou porque a capitania só deixa 20 pessoas por travessia?, conta.

O mestre da balsa desabafa que já não aguenta mais a chiadeira dos usuários. ?Já pensei até em pedir demissão. É muita reclamação sem sentido?, revelou. Valmir trampa há dois anos na balsa da barra sul, mas conta que tem ficado chateadaço com as reclamações dos apressadinhos.

A reportagem do DIARINHO esteve no local na manhã de ontem, mas não encontrou nenhum reclamão cocudo com coragem de meter a boca no serviço.

A solução é a ponte

A balsa entre o Barranco e a via gastronômica foi colocada pela prefa pra substituir a antiga ponte de arame sobre o rio Camboriú. A pinguela caiu durante a enchente do ano passado. A medida foi tomada em caráter provisório enquanto a ponte nova não sai.

O projeto pra construção da ponte já tá pronto, mas depende da liberação de dindim pelo governo do Estado. ?Estou esperando a confirmação da secretaria regional sobre a questão do convênio com o governo do estado. Se eles me confirmarem esta semana, já licito a obra em seguida?, promete Claudir Maciel, secretário de planejamento. A obra tá orçada em R$ 6 milhões.

  •  

Deixe uma Resposta