• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-CINCO---ABRE

Notas são da mesma série de outras apreensãoes feitas na região

A Polícia Federal de Itajaí descobriu que a numeração das notas falsificadas, guentadas terça-feira em Itapema, é da mesma série de outras fotocópias tiradas de circulação nos últimos dias na região.

Durante a operação, a Polícia Militar de Itapema segurou nove mil reais em notas falsas de R$ 100, que tavam na mão de um trio de Curitibanos que vinha aprontando por estas bandas. Os bandidos tentaram esquentar as notinhas fajutas fazendo compras no comércio Catarina. A polícia federal acredita que a falsificação tá rolando em Curitiba, no Paraná, e as notas são distribuídas para Santa Catarina.

Apesar de não abrir o bico durante o interrogatório que rolou depois da prisão, o trio formado por Sarah Mayumi Shikasho Bachtold, 28 anos, Youssef Silveira Gagi, 22, e Deywd José Ovizilini, 21, deixou escapar que trouxe as notas de Curitiba pra tentar trocar em Santa & Bela.

Os bandidos conseguiram passar na boa por uma bodega de beira de estrada no Paraná e também na cidade de Jaraguá do Sul, antes de chegarem ao litoral. Em nenhuma dessas cidades os comerciantes perceberam que a grana era uma cópia mal feita.

A falsificação só foi descoberta quando eles resolveram passar as notas pra frente em Itapema. O dinheiro tava perdendo a tinta e os donos dos comércios escolhidos sacaram na hora a malandragem. Os comerciantes foram cobrar explicação, mas os trastes tentaram dar no pé. Uma das quase vítimas é fera no jiu-jitsu e sentou o sarrafo num dos carinhas. Os três foram guentados pelo povão até a polícia chegar e depois levados para a delegacia da Polícia Federal em Itajaí. Os três estão no cadeião de Tijucas enquanto aguardam uma decisão da dona justa. Se forem condenados, eles podem pegar de três a 12 anos por crime contra a União.

  •  

Deixe uma Resposta