• Postado por Tiago

O DIARINHO teve acesso a documentos que confirmam que duas alunas da escola estadual Ary Mascarenhas Passos, no Rio Bonito, em Itajaí, ganharam o diploma do ensino médio sem ter notas suficientes nem freqüência necessárias para passar de ano. A maracutaia teria sido feita pela própria diretora do colégio. A chefia da gerência de Educação (Gered) de Itajaí confirma a irregularidade em um dos históricos e tá encaminhando hoje a denúncia à secretaria de Educação do governo do Estado.

A aluna E.R.N. só assistiu às aulas do terceiro ano no início de 2008. No dia 28 de abril, a moça pediu transferência para o colégio Nilton Kucker, na Vila Operária. Em agosto voltou ao Ary Mascarenhas e lá se formou no ensino médio. O problema é que os registros de avaliação dos professores comprovam que ela não tinha notas nem freqüência a partir de agosto daquele ano.

Pra piorar a situação, as notas da aluna no colégio Nilton Kucker, no segundo bimestre, são bem mais baixas do que as que acabaram sendo registradas no histórico escolar gerado no final do ano pela direção do Ary Mascarenhas. E.R. é filha da orientadora do colégio, Rosangela Pereira do Nascimento, que seria muy amiga da diretora.

O outro caso é o da aluna C.P.K.S.. Ela desistiu de estudar no segundo bimestre de 2008 quando estava no segundo ano do ensino médio. Em 2009, a menina voltou ao Ary Mascarenhas e foi direto para o terceiro ano. No final do ano passado, C. também ganhou o diploma de ensino médio, mesmo não tendo concluído o segundo ano.

Investigação na Gered

Maria Alice Pereira, chefona da Gered, confirma a modificação das notas e frequência encontradas no diploma de E.R.N. O caso, informa, começou a ser investigado em dezembro. O resultado das investigações será encaminhado hoje à secretaria de Educação, em Forianópis.

A secretaria de Eduação, explica Maria Alice, vai agora abrir um processo administrativo contra a diretora Heliete Ambrosina Nunes e a secretária Karla de Souza Rebelo Colla, da escola Ary Mascarenhas. As duas usavam a mesma senha para colocar as notas no sistema digital da secretaria e também assinaram o diploma de E.R. para validá-lo.

A chefona da Gered diz ainda que a denúncia sobre o caso da aluna C. foi feita na sexta-feira e vai começar a analisar as provas apresentadas.

Maria Alice revelou que tem hoje uma reunião marcada com o secretário regional da SDR, Gilberto Antonio Gadotti, para discutir o destino da diretora e da secretária durante o processo administrativo. Se forem comprovadas as falcatruas, os responsáveis podem ser expulsos do serviço público.

A gerente de Educação também comenta que vai se reunir com os professores do Ary Mascarenhas para saber porque somente recebeu a denúncia um ano depois da cagada ser feita. “Eu penso que elas foram de uma infantilidade muito grande”, afirmou, referindo-se ao fato de que os professores poderiam ter percebido a fraude. “A gente trabalha aqui com a maior transparência e aí acontece uma situação dessas!?”, desabafou.

As mesmas denúncias foram encaminhadas ao ministério Público Estadual. Patrícia Areias, responsável pela secretaria do MP em Itajaí, informou que a denúncia será repassada ainda esta semana ao promotor da vara criminal do órgão.

Secretária da escola acusa diretora pela fraude

Heliete Nunes, diretora do Ary Mascarenhas, não quis comentar o caso. A secretária Karla confirmou a denúncia e acusou a diretora de ter fraudado as notas. Afirma que assinou o diploma porque foi pressionada, pois na época estava em estágio probatório e poderia ser demitida. Karla afirmou ainda que no ano passado, já efetivada, fez questão de criar uma senha particular no sistema e se negou a assinar o diploma da aluna C.P.K.S.

Rosângela do Nascimento, orientadora da escola e mãe de E., está de licença e não foi encontrada pelo DIARINHO.

  •  

Deixe uma Resposta