• Postado por Tiago

O pessoal da companhia Experimentus Teatrais, de Itajaí, ficou revoltado depois de um espetáculo feito na sexta-feira. Os artistas apresentaram uma peça pra pirralhada do centro Educacional Meu Cantinho, na rua José Gall, no centro de Itajaí, em comemoração ao Dia das Crianças. Sandra Knoll, atriz e produtora da companhia, contou ao DIARINHO que ao final da peça a diretora do colégio humilhou os integrantes do grupo. Irani Natália Reis, a diretora, teria ficado uma fera porque a apresentação durou somente 30 minutos. Sandra garantiu ter passado anteriormente todas as informações da apresentação, inclusive o tempo de duração.

O espetáculo começou às 16h. Foi cobrado um cachê de 400 reais para apresentar o teatro de bonecos aos 50 alunos do centro infantil. Até mesmo o preço, diz Sandra, foi questionado por um professor.

Assim que os atores começaram a desmontar o cenário do palco, logo depois da apresentação, a diretora do colégio começou a armar barraco, conta a produtora do espetáculo. O motivo da indignação foi porque a companhia cobrou um valor considerado pela diretora muito alto para apenas meia hora de show. “Ela começou a nos destratar falando coisas do tipo “vocês têm coragem de cobrar 400 reais por apenas meia hora de peça?” e “isso é uma enganação às crianças”, lembra Sandra.

Marcelo de Souza, ator e manipulador dos bonecos da Experimentus, teria tentado explicar para a diretora que eles não cobravam por hora, mas sim por espetáculo. Mesmo assim, Irani teria continuado o bate-bocas, dessa vez com palavras mais agressivas.

Ao DIARINHO, Sandra mandou o documento que tinha encaminhado à escola antes de fecharem o acordo pro espetáculo. No papel, já constava que o tempo de duração da peça era de 30 minutos.

Para acabar com a confusão, a produtora combinou com toda a equipe pra ninguém receber o pagamento. “Não iríamos querer aquele dinheiro, pois isso seria aceitar o julgamento dela”, disse, intisicada. “Se ela tinha alguma reclamação, deveria falar de uma maneira mais civilizada e não daquela maneira”, reclama Sandra, que se sentiu ofendida e humilhada pela diretora.

Foi só um comentário

Irani Natália Reis desmentiu as acusações de Sandra. A diretora garante que fez apenas um comentário educado com o pessoal da companhia de que a peça tinha sido muito rápida. “Durou 25 minutos. Eu achei um absurdo, as professoras saíram indignadas e até as crianças ficavam perguntando se já tinha acabado”, relatou. Para a diretora, a Experimentus não soube aceitar a crítica que ela tinha feito. “Eu só falei isso”, reafirmou.

Questionada se a companhia teatral tinha mesmo avisado antes do preço e do tempo do espetáculo, Irani desconversou e falou que não tinha gostado do produto oferecido, por isso teve o direito de reclamar.

A diretora também disse que vai dar um jeito de pagar a Experimentus, pois nunca ficaram devendo por qualquer serviço feito ao colégio.

  •  

Deixe uma Resposta