• Postado por Tiago

A doceira T.C., 54 anos, está revoltada com a situação da saúde pública em Itajaí. Ela teve que se sujeitar a uma via sacra para conseguir com que um médico drenasse um dos dedos de sua mão para aliviar a dor que sentia.

Na terça-feira, 14, T. saiu de casa por volta das sete da matina e só conseguiu fazer a tal drenagem 14 horas depois. Isso depois de passar pela unidade de saúde do São Judas, três vezes no pronto atendimento do São Vicente e outras duas no hospital Marieta. Sempre com muita dor e com o dedo infeccionado, pois sofre de unheiro. “Foi preciso correr o dia inteiro pra um médico me atender dignamente”, desabafou.

Márcia Cracco, enfermeira da secretaria de Saúde da prefa de Itajaí, disse que na manhã de terça-feira o médico plantonista do PA do São Viça teve problemas pessoais e por isso não foi trampar. “As vezes acontece algum imprevisto”, justificou a enfermeira, garantindo que o quadro de médicos da secretaria tá completo e que esse tipo de problemas não costuma acontecer.

  •  

Deixe uma Resposta