• Postado por Tiago

INTERNA_14_abre-esquerda_cadela-envenenada-barra-_leitor

A cadelinha Malu foi uma das vítimas do assassino desalmado

A dona de casa Mariléa Pistoia da Silva, 29 anos, tá desconfiada que esteja rolando uma matança de cães no bairro da Barra, em Balneário Camboriú. Ela conta que sua cadelinha foi morta com chumbinho, um veneno pra rato, e que sua vizinha já perdeu três animais de estimação da mesma forma.

Mariléa mora há três meses na rua Jardim da Saudade, na Barra. A vira-latas Malu foi envenenada no dia 20 de janeiro, depois de comer um prato de macarrão, carne e chumbinho. Ela encontrou a pobrezinha malzona e vomitando. No desespero, deu leite com alho, fez a cachorra vomitar e levou a cadela pra uma veterinária. Mas já era tarde demais. ?Deu hemorragia interna. Botaram chumbinho que estourou ela toda por dentro?, lamenta. A veterinária encontrou as baguinhas mortais no bucho da cadela.

Malu, conta a leitora, circulava pela rua e, por isso, ficou mais fácil pra ser envenenada. ?Ela era bem filhotona, brincalhona?, lembra a dona.

Como outros animais da região já foram envenenados da mesma forma, a mulher desconfia que algum malacabado faça a judiação com os bichinhos do bairro. ?Sou nova aqui e não sabia disso. Temos que alertar todos?, diz.

A veterinária Caroline Fernandes Popelier diz que a melhor forma de evitar o envenenamento é manter os bichos dentro de casa e longe do portão. Quando o dog é envenenado, a dotôra Caroline recomenda que o dono corra pro veterinário. ?Ele vai poder acessar a veia, dar um antitóxico e tentar reverter o quadro?, explica. Não adiantar dar água, leite ou qualquer outra receita caseira pra fazer o bichinho vomitar, afirma a veterinária. ?A receita é ir pro veterinário e rezar?.

A médica de bichos comenta que dificilmente os assassinatos de cães são resolvidos. ?A pessoa tem que flagrar quem envenena os animais e ter testemunhas, senão não sai do papel?, lamenta, referindo-se à impunidade dos sacanas que mandam a bicharada pro além.

  •  

Deixe uma Resposta