• Postado por Tiago

O tribunal da dona justa (TJ) catarina decidiu, por dois votos a um, aliviar a cana do empresário Marcelo Vieira da Cunha, 21 anos, que é acusado de ter participado do racha que matou o policial militar Cláudio Costa, no dia 29 de agosto. O desembargador Rui Fortes, que tinha pedido mais tempo pra dar uma bizolhada cuidadosa no caso, achou que as provas contra o cara eram fracas.

O pedincho de liberação de Marcelo, que tava mofando no xilindró da depê de Porto Belo há duas semanas, tava empatado em um a um. A relatora do processo, desembargadora Marli Mossiman Vargas, tinha votado a favor de manter o playboy atrás das grades. Mas o dotô Newton Varella Junior achava melhor livrar o cara da gaiola.
A decisão só saiu depois que o desembargador Rui deu seu voto de Minerva. Ele lascou que as provas do crime que pintaram até agora não são suficientes pra manter Marcelo enjaulado e caneteou que as imagens de um posto de gasolina, que comprovariam que ele tava envolvido na brincadeira assassina, não chegaram a passar por perícia.

Em compensação, o dotô carcou que acredita na culpa de Thiago Costa, 18, que pilotava o Vectra que bateu de frente no Palio Weekend do policial. “Os indícios apontam para a culpa de Thiago, que estaria embriagado, em alta velocidade e sem habilitação para dirigir”, caneteou.

  •  

Deixe uma Resposta