• Postado por Tiago

A dona justa condenou Leandro Ribeiro Maciel a oito anos de prisão no regime aberto, por ter inventado denúncias contra o escritório de advocacia Silva Neto Advogados Associados. O cara disse a quem quisesse ouvir que os sócios do escritório fraudaram uma licitação da SC Gás, e tinham se aproveitado da situação pra contratar gente que não tinha sido chamada no concurso público da empresa. O canetaço foi dado pela juíza Ana Luiza Schmidt Ramos Bornhausen, da Capital.

O caso começou em junho de 2008, quando deduragens publicadas por Leandro em seu blog na internet diziam que a Silva Neto tinha recebido informações de primeira mão sobre o edital, aberto pela SC Gás, pra contratação de um escritório de advocacia. Tudo pra que ganhassem a concorrência e abocanhassem o serviço.

Leandro tava se sentindo prejudicado porque passou em primeiro lugar num concurso pra analista jurídico da SC Gás, e a contratação do escritório tava emperrando sua chamada pro trampo. A história teve uma baita repercussão, e resultou até numa visitinha da polícia Federal à sede da SC Gás, em busca de provas da suposta sacanagem contra a galera que tinha passado no tal concurso.

O resultado, na época, foi uma multa salgada, de R$ 432 mil, pros mandachuvas da SC Gás, por não terem cumprido um termo de ajustamento de conduta (TAC) firmado com o Ministério Público, que obrigava a empresa a contratar os concursados.

Eram inocentes

Os sócios do Silva Neto não gostaram nadinha da acusação de terem fraudado uma licitação, e provaram na dona justa que eram inocentes na história. Eles carcaram um processo contra Leandro, acusando o cara de ser mentiroso. O caso foi analisado e a juíza Ana Luiza considerou que, ao meter o nome do escritório no rolo, o cara tinha ofendido diretamente os bambambans do Silva Neto.
A magistrada carcou uma pena de oito anos de prisão pro Leandro, em regime aberto, e o mandou prestar serviços pra comunidade. O cara também vai ter que pagar uma multa pros ofendidos.

Togados do Tribunalão da Santa & Bela absolveram Leandro

A dor de cabeça terminou em junho de 2011 para o advogado Leandro Ribeiro Maciel. Ele apelou da condenação dada pela dona justa de Itajaí e os togados do tribunalão de Justiça, em Floripa, decidiram absolvê-lo.  Por unanimidade, os desembargadores entenderam que Leandro não teve intenção de caluniar os colegas Orlando Celso da Silva Neto e João de Bona Filho e apenas expressou críticas à forma de contratação do escritório daqueles advogados.

Ah! O DIARINHO errou quando, na época, noticiou que Leandro foi condenado pela juíza de Itajaí a oito anos de cana. A pena, na verdade, foi de apenas oito meses, transformada em serviços comunitários.

(Publicada em 04/11/2011)

  •  

Deixe uma Resposta