• Postado por Tiago

A central de Operações Policias (COP) confirmou ontem o que a Jovelina Francisca da Silva, 36 anos, já tava cansada de falar: seu marido foi morto vítima de uma bala perdida. Gilmar Dorneles da Silva, 40 anos, morreu no início da noite de sábado, quando trabalhava em seu comércio, o bar do Gilmar, na rua Carlos Otto Priess, no bairro São Vicente, em Itajaí. O tiro foi resultado de uma briga entre cunhados que se odeiam, e sobrou para Gilmar, que nada tinha a ver com a história.

A equipe do delegado Rui Garcia dos Santos tava investigando o caso e descobriu que o atirador era Eduardo Murilo Bernz. Ontem, o traste se apresentou na depê, contou sua versão pro crime e revelou que não tinha mesmo a intenção de matar Gilmar.

Eduardo não aprova o namoro da irmã Amanda com um cara chamado Oséis Alves Trindade. No sabadão, ele passou pelo cunhadão no momento em que tava indo pro bar. Oséis viu Eduardo e teria dito: “de hoje você não passa”. O rapaz, com medo de morrer, foi pra casa, pegou uma pistola calibre 7.65 e foi encontrar o desafeto no bar do Gilmar.

Ao entrar no boteco, Oséis colocou a mão por baixo da camisa. Eduardo, pensando que o cunhado tava armado, puxou a arma e atirou duas vezes contra ele. Os tiros falharam e Oséis, que não tava maquinado, saiu correndo pra rua. Eduardo foi atrás e atirou mais uma vez. O balaço acertou o peito de Gilmar, que morreu de graça.

Ao ver a merda que fez, Eduardo saiu correndo pra casa, mas viu uma baratinha da PM e resolveu mudar de rumo. Ele foi até a ponte Nilo Simas, onde jogou a arma e ficou escondido. Além de contar a sua história ao delegado Rui, Eduardo disse que tinha 17 anos quando matou Gilmar, no dia 23 de janeiro. Dois dias depois, o rapaz completou a maioridade. Eduardo ainda contou que não gosta de Oséis porque ele aliciou sua irmã para o mundo das drogas e fez com que ela brigasse com a mãe.

Após depoimento, Eduardo foi liberado. Como o guri era dimenor quando matou Gilmar, ele responderá a bronca à promotoria do Menor e do Adolescente e não será preso. No máximo, cumprirá uma medida sócioeducativa. O delegado ainda pensa em pedir buscas no canal retificado do rio Itajaí-mirim, pra tentar localizar a arma do crime.

Outra versão

Oséis também esteve na COP e contou sua versão pra morte de Gilmar. Ele diz que foi ao bar e lá encontrou Eduardo, que tava sem camisa. Ao ver o cunhado, o dimenor foi até a cadeira onde tava sua camisa e pegou a pistola. Ele atirou duas vezes contra ele, mas os tiros falharam e Oséis saiu correndo pra rua. Nisso, Eduardo atirou mais uma vez e acertou o dono do bar. Oséis confirmou que o motivo da encrenca seria mesmo o namoro dele e de Amanda, que rola há sete meses, pra desgosto da família.

Cansada de falar

O que a polícia descobriu ontem, a mulher de Gilmar já tava cansada de falar. Jovelina contou ao DIARINHO que o marido foi vítima de bala perdida e que a briga era entre dois homens mesmo. O delegado Rui Garcia dos Santos irá ouvir a mulher nos próximos dias, e depois o caso será repassado à delegacia do Menor e do Adolescente.

  •  

Deixe uma Resposta