• Postado por Tiago

p---prisao-santidade---mario-bazan.jpg-(37)

Bazan tentou fugir, mas levou uma chave de pescoço dos milicos

p---prisao-santidade---mario-bazan.jpg-(68)

PMs subiram em cima do empresário pra algemá-lo

Um bafão movimentou a praia Brava, em Itajaí, na tarde de ontem. O empresário Mario Bazan, dono do Santidade Bar, ficou puto com a fiscalização da fundação do Meio Ambiente (Famai) e decidiu peitar os verdinhos. O cara não baixou a crista nem quando a polícia Militar pintou na área. Daí já viu: Bazan levou uma prensa e foi levado de camburão pra delegacia. Na depê, o empresário conversou com o DIARINHO e disse que foi agredido pelos milicos.

A briga começou por volta das 11h de ontem. A Famai decidiu dar uma zolhada no bar e descobriu irregularidades. O pessoal colocou freezers na faixa de areia pra atender a clientela na praia. Ao ser informado que as geladeironas seriam apreendidas pelos fiscais da Famai, Bazan virou macho.

Os verdinhos tiveram que chamar a polícia Militar pra dar uma força e daí o barraco estava feito. Bazan não baixou a bola e decidiu encarar os meganhas. Grande erro! Levou uma chave de pescoço dos PMs, foi agarrado por uns cinco fardados, tentou resistir à prisão e acabou virando bife à milanesa. Ele tentou fugir, caiu na areia e levou um pezão no pescoço, até que foi imobilizado pelos meganhas e recebeu as pulseiras de aço.

O caminho até o camburão foi de mais fiasqueira. O empresário ia se arrastando pelo chão e os milicos puxando o grandão. Antes de entrar na baratinha, Bazan ainda levou um dedão na cara dos fardados, que tavam nervosos com tanta resistência.

Apanhou

Na delegacia o dono do bar contou ao DIARINHO que foi agredido pelos policiais. ?Eles exageraram. Fui agredido antes de chegar na delegacia?, afirma o empresário, dizendo que apanhou dentro da baratinha.

Os policiais se defendem dizendo que apenas foram chamados pela Famai pra dar apoio à fiscalização. ?Nós chegamos lá numa boa, mas o cara não queria permitir que déssemos continuidade ao nosso trabalho. Fomos obrigados a prender o empresário?, comenta um dos PMs.

Sobre a desobediência, Bazan diz que sempre trabalhou para atender as determinações da Famai. ?Reduzimos o número de cadeiras, tiramos uma pia?, garantindo que acatou as normas.

O superintendente da Famai, Nilton Dauer, diz que por desrespeitar a determinação, o empresário vai levar uma multa salgada no lombo. Depois da fiasqueira com os PMs, Bazan foi liberado e vai responder pela bronca em liberdade.

  •  

Deixe uma Resposta