• Postado por Tiago

Caminhão tinha sido roubado de um sítio em Governador Celso Ramos

Os tiras da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) prenderam na manhã de ontem Antônio Bernardini e Antônio dos Santos. Os caras tavam trabalhando na reforma de dois brutos numa oficina em Itajaí e são acusados de estarem enrolados até o pescoço com uma quadrilha metida com roubos na região. Os malacos tinham comprado as peças de um caminhão roubado e tavam usando numa buena.

As prisões fazem parte da Operação Tijucas, que caça envolvidos com a ação de uma quadrilha que age principalmente em cidades da região que vai de Florianópolis a Joinville. Desde o começo das prisões, no dia 14, a polícia já mandou pra trás das grades 25 pessoas.

Os policiais da Deic chegaram à oficina, que fica na rua Nossa Senhora de Fátima, nos Cordeiros, por volta das 11h de ontem. Os homisdalei tavam no rastro do caminhão, placa MDL 9128 (São José), furtado no dia 23 de maio de um sítio em Governador Celso Ramos. As peças do bruto foram vendidas pros mecânicos, que aproveitaram pra usar a bagulhada na montagem de mais dois brutos. A dupla assumiu a bronca para a polícia e também confessou que sabia que o veículo era roubado.

O restante das peças do caminhão roubado foi distribuído para compradores de Ilhota e para um barco de Itajaí. A carroceria e a cabine foram parar na terra das calcinhas, já o motor foi prum barco da city peixeira. Os policiais continuam as investigações para descobrir onde estão escondidas as peças que não foram encontradas.

Os malacos foram mandados para cela da Central de Operações Policiais de Itajaí, onde vão se entender com os tiras, respondendo por receptação de produtos roubados, e depois vão direto pro cadeião.

A operação

A ação da quadrilha era investigada há pelo menos seis meses, após o registro de três roubos a fazendas em Tijucas e Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis. Em todas as ações os bandidos foram violentos. A partir da sequência de assaltos, a polícia conseguiu identificar alguns suspeitos e a dona justa pediu a prisão dos safados. A Operação Tijucas é coordenada pelo delegado Renato Hendges, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic).

A quadrilha ainda foi acusada de ter sequestrado o dono de uma malharia, em julho, e assaltado um prédio chiquetoso da avenida Atlântica, em Balneário Camboriú, quando um advogado foi feito refém. Entre os chefões da quadrilha tão Mauri Alves Garcia, o Percebe, irmão do Craca (bandido mirim mais famoso da região) e Neusa Pires Pereira, mãe do minitraste. Neusa foi engaiolada, mas Percebe conseguiu dar o cano nos homisdalei e siscapou. Ele continua foragido.

No sábado, os tiras da Deic prenderam em flagrante, em Jaraguá do Sul, Cristiano Duarte. O traste escondia num galpão uma retroescavadeira que tinha sido furtada de uma fazenda em Governador Celso Ramos, no dia 22 de maio.

  •  

Deixe uma Resposta