• Postado por Tiago

Mercado brasileiro é a melhor opção da América Latina

Os gráficos do mercado financeiro estavam muito semelhantes com o Dow Jones, tentando um avanço dentro de um canal de alta, procurando uma recuperação mais efetiva. Já a Bovespa, com situação semelhante, porém esbanjando muito mais consistências através de sólidas informações financeiras, atingiu o topo do ano em 70729 em 6 de janeiro e de lá para cá recuou 8%. Analistas externos afirmam em coro que somos a melhor opção da América Latina. Este é o cenário que se inicia o ano novo…

A situação externa

O caso é que externamente tanto o Tio Sam quanto o continente europeu têm apresentado números muito fracos, duvidosos e de fácil contestação. São economias que, pensava-se, teriam uma recuperação mais rápida, considerando-se todos os pacotes governamentais de incentivos, redução de juros e tantas outras possibilidades efetivadas. Por lá, até o momento, o que parece óbvio é que os juros básicos devam permanecer no patamar de 0 a 0,25% por um longo período.

A situação externa 2

O que se vê, neste momento, é que apesar de toda a dinheirama envolvida, os primeiros balanços começam a aparecer e por enquanto revelam-se fracos. Como não poderia deixar de ser, deveremos ter surpresas positivas, mas no geral nossa aposta é que os números vêm fracos.

E os bancos americanos…

Daí vale o questionamento do por que dos bancos americanos não terem aumentado sua exposição ao crédito. Uma vez que temos taxas externas (quase…) negativas com um cenário de fraca atividade, o natural seria levar a novas exposições, o que faria ebulir a economia norteamericana.

…estariam sem dinheiro?

A provável resposta é que estes mesmos grandes bancos ainda têm problemas de liquidez. Alguns (os que conseguiram…) captaram recursos via operações de ações e trataram de tentar pagar os empréstimos obtidos do governo, fazendo caixa para novas adversidades.

Azeite na máquina do sistema financeiro

Porque todos sabemos que quando a engrenagem enferruja é preciso azeite, graxa ou grana para a coisa voltar a andar. Um dos principais gestores nessa situação são os bancos, com as grandes operações e as grandes corporações realizando a retomada da máquina do sistema financeiro. Isto parece não estar acontecendo e pode recomeçar um novo repique baixista com esse cenário se configurando. E olha que é bastante possível…

E o Brasil nessa história?

Vivemos em um mundo globalizado. Estamos inseridos nele através das nossas exportações e demandas de crédito entre os bancos, entre outros setores. Os recursos têm tido claro aporte por aqui através das bolsas, fundos de pensão, investidores e o que mais se possa pensar. Devem continuar irrigando nossa economia pelos bons indicadores econômicos, além da agenda futura tipo copa do Mundo e Olimpíadas.

Uma forcinha aos exportadores

Agora, pensar que o já protecionista mundo europeu e norte-americano vai mudar neste ano de incerteza externa, pode tirar o cavalo da chuva. O governo terá que criar desobstruções aos exportadores, assim como fez – e acertadamente – com vários setores do mercado interno. Tirou-nos da recessão externa via redução de juros e impostos e o fez muito bem. E, por favor, vamos deixar para o segundo semestre essa conversa de aumento da Selic…

Tabuleiro de xadrez

Em que pesem os fatores externos, ainda com distante solução, nossa economia vai bem, obrigado. Não tem grandes pressões inflacionárias, com o mercado interno tendo gerado 995 mil postos de trabalho e previsão de 2 milhões para este ano. Neste momento, seria inovador uma mexida na parte tributária, em especial para o setor exportador, de forma a garantir o incremento de novos empregos, expansão de mercados e manutenção da atividade econômica em bons patamares. Não se iludam achando que o Brasil vai arregaçar sozinho. Mesmo a toda poderosa China agora faz um movimento inverso tentando não depender tanto de exportações e fortalecendo seu mercado interno. São as primeiras jogadas do xadrez de 2010.

Edward Mundy é consultor financeiro da Mundy Intermediação & Finanças Corporativas [edward@mundyintermediacao.com.br / www.mundyintermediacao.com.br]

  •  

Deixe uma Resposta