• Postado por Tiago

Lá vêm os dias melhores

A exuberância da Bovespa acumulando 49% até esta semana, perde apenas para o índice chinês Shanghai Composite, com 90% em 2009. A Nasdaq americana fica com 27%, com as demais principais bolsas operando no azul com índices próximos a 10% de valorização. É o mercado antecipando dias melhores para a economia.

É bom lembrar…

No auge da crise, entre setembro e novembro, nossos papéis apanharam muito. Os investidores externos, tendo que tapar buracos lá fora, saíram das posições confortável em que se mantinham para fazer caixa a qualquer custo. A retomada de investimentos que agora acontece só confirma que os fundamentos estão corretos, tendo sido debandada que sofremos de capitais uma anomalia.

Capital estrangeiro

Com base nesse bom momento, dois renomados fundos norteamericanos (Vanguard e Mottley Fool), apuraram que a carteira de ações do americano médio típico tem apenas de 12 a 15% de alocação em empresas estrangeiras. Ambos fundos, estão recomendando a alocação entre 20 a 40% dos portfólios em economias internacionais. Essa percepção poderia explicar a boa performance da nossa bolsa e o saldo estrangeiro positivo em 1,3 bilhões de dólares, mantendo-se positivo pelo quarto mês seguido.

E foi-se a recessão…

O ministro da Fazenda Guido Mantega, afirmou que ele e o secretário do Tesouro do Tio Sam, Thimothy Geithner, concordam que ainda é cedo para a redução dos estímulos econômicos, apesar dos sinais de recuperação. A economia de lá deve começar a crescer neste terceiro trimestre, enquanto que por aqui a expansão já vem ocorrendo desde o segundo trimestre.

Cumprimento do superávit

Ainda assim, a meta do governo é de cumprir o superávit ajustado para este ano em 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Então em que pesem outros aspectos não tão positivos assim, as contas devem fechar em ordem com as reservas internacionais em 210 bilhões de dólares. Um recorde para o país.

A ilha da Fantasia

É de ficar de boca aberta ao ver os fatos que se desenrolaram no senado brasileiro. Quem pode explicar, depois de tudo o que já se disseram entre si no passado, como nos dias de hoje convivem pacificamente Lula,Collor e Sarney?

A ilha da Fantasia 2

Incrível a inflamada defesa do certinho Renan Calheiros, com o colorido Fernando fazendo coro, ao injustiçado Sarney, que quase ofendido disse, mesmo assim, que permanece na presidência do senado. É preciso que a sociedade responda nas urnas, assim como fizeram ao Quércia e ao Pitta, essa vergonheira que todos os dias estamos assistindo na mídia. Afinal de contas, a política interfere diretamente na economia de um país.

Edward Mundy é consultor financeiro da Mundy Intermediação & Finanças Corporativas

[edward@mundyintermediacao.com.br / www.mundyintermediacao.com.br]

Entenda o economês

Superávit primário – é quando o resultado das contas públicas é positiva. Ou seja, o governo arrecadou mais do que pagou. Impostos, tributos e lucros de estatais são receitas que podem garantir o superávit primário do governo. Quanto são positivos, os recursos do governo são usados para o pagamento dos juros de dívidas e até mesmo para a quitação de parte das dívidas. Nesse caso, teríamos um exemplo de superávit nominal, o que tende a reduzir o montante da dívida pública.

  •  

Deixe uma Resposta