• Postado por Tiago

O novo grau de investimento

INTERNA-_coluna-giro-financeiro_henrique-meirelles-BC_foto-A-ntônio-Cruz-ABR.jpAntônio-Cruz-ABR

Meirelles tem mais é que botar as mãos pra cima

Henrique Meirelles, presidente do Banco Central, comemorou com euforia o novo grau de investimento atribuído ao Brasil pela agência de classificação Moody?s. Segundo Meirelles, isto comprova o reconhecimento da saúde financeira em que o país entrou na crise mundial e como, com as medidas e estímulos corretos, conseguiu superar velozmente qualquer revés.

O que muda…

A Standard & Poor?s, Fitch Ratings e agora a Moody?s são as principais agências que medem os níveis de segurança do grau de investimentos de um país. Todas atestam a boa situação das contas brasileiras e atribuem boa capacidade de pagamentos do país para honrar seus compromissos. Isto abrirá muitas portas para entrada de capital, uma vez que os investidores externos irão se sentir mais seguros em relação ao rumo, capacidade e comportamento do Brasil no futuro. O Brasil foi o primeiro país a receber este selo após início da crise.

Ofertas Públicas de Ações

E é nesse embalo que várias empresas vão voltar a captar fundos via abertura de capital na bolsa. Para a próxima semana Tivit e Multiplan vão dar uma amostra da fome do mercado em novas captações. Depois vem Santander, além de pelo menos mais umas cinco previstas. Vai ser um bom teste para vermos como se comportam os investidores para novas captações. Haja dinheiro para tanta emissão.

Enquanto isso…

Tem muita empresa em dificuldades com passivos renegociados e algumas literalmente quebradas. Toda essa situação macro-econômica favorável não é realidade para muita gente, que luta diariamente com um mercado ainda desaquecido, com poucas vendas. Isso sem falar no dólar que, para quem exportava, hoje sofre com a baixa cotação. Antes eram os mercados que não compravam, agora é essa inexistente política de dólar flutuante que mata as exportações em geral, exceção para as commodities.

Desemprego

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a maioria das pessoas desempregadas possui entre 21 e 40 anos (59,9% em julho) e em segundo lugar pessoas abaixo de 20 anos (23%). É um claro sinal que ainda são ?filhos da crise?, dada a faixa etária relacionada ao problema.

Prorrogação do desconto do IPI

Boa notícia para quem vai construir. Miguel Jorge, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, apóia a prorrogação do desconto do imposto sobre produtos industrializados (IPI) dos materiais de construção, uma vez que o governo irá também pagar por eles no programa ?Minha casa, minha vida?…

Edward Mundy é consultor financeiro da Mundy Intermediação & Finanças Corporativas [edward@mundyintermediacao.com.br / www.mundyintermediacao.com.br]

  •  

Deixe uma Resposta