• 06 ago 2009
  • Postado por Tiago

ABSOLVIDO

A absolvição do ex-prefeito Rubens Spernau no processo movido pelo Ministério Público sobre o pagamento de insalubridade a servidores municipais não foi divulgada por parte da imprensa comprometida com aqueles (inclua-se a atual administração) que insistem em denegrir a imagem do Alemão Tucano.

LEMBRANDO

Na época, o promotor de justiça, Rosan da Rocha, pediu o congelamento de dois bens do prefeito Spernau, sob a acusação de que teria realizado irregularmente o pagamento da insalubridade. Outros atos que geraram polêmica envolvendo o promotor e o ex-prefeito também foram registrados e cheiravam perseguição, como foi o embargo da obra do teatro.

RELEMBRANDO

Para aqueles que têm memória curta, é bom lembrar que posteriormente o promotor manifestou publicamente sua simpatia e apreço pelo atual prefeito-ave, que agora, segundo informações acaba de ser indiciado pela Polícia Federal. Mas sem entrar nesses detalhes, vamos direto ao assunto. Com a absolvição de Rubens Spernau, quem paga pelo desgaste que sofreu (se é que houve desgaste) com a notícia do congelamento de seu bens sob a acusação do Ministério Público “de mau uso do dinheiro público”?

FOI NA ELEIÇÃO

É bom lembrar que a denúncia ocorreu em pleno ano eleitoral e que foi bastante divulgada pelos veículos de comunicação da região, principalmente daqueles que apoiavam a candidatura de Edson Renato Dias. Ajudaram o Periquito e prejudicaram o Tucano.

ALÍVIO

Com a alma lavada, Spernau voltou a presidir a reunião do diretório municipal do PSDB na noite de segunda-feira. Tranquilo, falou sobre os últimos rumos dos processos que responde o prefeito-ave e destacou que a tucanada pode se preparar para voltar ao poder. Rubens emendou: “embora não seja desta forma que gostaríamos de retornar, o PSDB deve assumir, pois a cidade não pode perder a oportunidade de retomar o caminho do desenvolvimento”.

INVESTIMENTOS

Spernau comentou também sobre os prejuízos que o município tem sofrido com a paralisação de obras como a Quinta Avenida, Binário, Teatro Municipal, e a não abertura do Hospital Municipal Ruth Cardoso. Lamentou também quanto a investimentos desnecessários como a aquisição de maquinário e caminhões que serão utilizados em determinadas épocas. “Esse maquinário, além de ser adquirido com preço bem acima do normal, poderia ser simplesmente alugado”, taxou Rubens, pensando em economia para os cofres públicos.

VEREADORES

Os dois vereadores presentes na reunião tucana, Dão Koeddermann e Fabrício de Oliveira, também manifestaram convicção de que até o final do ano será decretado o afastamento do atual prefeito e citaram uma série de irregularidades ocorridas na administração municipal, que deveriam ser apuradas pelo Ministério Público, como o arrancadão e outras mais.

RODOVIÁRIA

O vereador José Hannibal não desiste e voltou a carga. Quer saber mais detalhes sobre a reforma da estação rodoviária, que custou R$300 mil. Hannibal quer saber se a despesa foi apenas para a pintura do prédio.

MOLEQUE

Os vereadores Dão, Tatá e Fabrício utilizaram a tribuna para criticar a forma como a administração municipal tratou a questão do UPA (Unidade de Pronto Atendimento), deixando de implantar no município, o que significa rejeitar R$ 2 milhões para a construção e equipamento da unidade de saúde mais uma receita mensal de 175 mil reais. O vereador Fabrício alegou que o assunto foi tratado com molecagem.

DESPESA

Ao mesmo tempo em que recusou os recursos para a construção da Unidade de Pronto Atendimento, a Secretaria Municipal de Saúde alugou um prédio no bairro da Barra para implantar o Pronto Atendimento 24 Horas. Ninguém sabe entender e nenhum vereador soube explicar. O vereador Marcus Kurtz (PMDB) prometeu verificar o que ocorreu e deve se pronunciar a respeito na sessão desta quinta-feira (6).

PERSEGUIÇÃO

Jornalista Alexandra Gonzalez tem sido alvo de perseguição política e nos últimos 12 dias passa por constrangimentos por não ter condições de exercer a função pela qual é concursada. Transferida para a Secretaria de Obras, após 30 dias de férias, para trabalhar na assessoria de imprensa, a profissional não tem à disposição as mínimas condições de trabalho, a começar pela falta de uma mesa e a respectiva cadeira. Lamentável e medíocre a ação de quem se utiliza desse tipo de atitude para prejudicar uma colega de trabalho.

DESORGANIZAÇÃO

A Câmara do Balneário aprovou em junho, com efeito a partir de primeiro de abril, a lei que reajustou o valor do cartão alimentação do funcionário público municipal. No mês de julho deveria ter sido incorporado os valores referentes à diferença de R$ 90 para R$ 100 reais. Em primeiro de agosto deveria ser creditada a diferença de R$ 20. Mas não foi. É desorganização ou má fé com o funcionalismo? Ou será ainda que passaram o calote só porque 1º de abril é o dia da mentira?

VIDA NOVA

“Chega aqui pertinho pra tirar uma foto, Zé Galinha”. O convite foi do vice-governador Leonel Pavan. “Sou o vereador José Hannibal”, corrigiu educadamente o vereador do Partido Progressista. E a foto foi batida.

BONS TEMPOS

Na realidade, o apelido era de quando o vice e o vereador eram jovens e gostavam de uma boa “pelada”. Estou falando de futebol, é claro. Hoje eles despontam na política. Pavan é uma liderança de expressão nacional e José Hannibal vem fazendo um excelente trabalho na Câmara de Vereadores.

INDIGNADA

Vereadora Christina Barrichello (PPS) voltou a sentir na pele o que é ser oposicionista. Na reunião da Câmara ela demonstrou toda a sua indignação com a falta de atenção do secretário de Saúde, José Roberto Spósito, que não atendeu as suas ligações telefônicas. Como líder do prefeito, queria saber dados sobre a recusa do município em implantar a UPA – 24 horas – Unidade de Pronto Atendimento.

INICIATIVA

“Confesso que também não entendi. Não vou trazer resposta neste caso, pois quem deve responder é o secretário Spósito, embora a iniciativa de solicitar recursos, junto ao governo Federal, tenha partido da competente funcionária da Saúde, a Tatiana”, disse Barrichello.

CRÍTICAS

As duras posições da vereadora Christina Barrichello, cobrando determinadas ações da administração municipal, como foi o caso envolvendo o secretário Spósito, pode antever uma mudança no primeiro escalão do prefeito Edson Dias. Christina é suplente, e se o secretário de Planejamento, Claudir Maciel, cair, ela deixa o cargo no legislativo. Competente, quer deixar a sua marca registrada como uma grande defensora da comunidade. É essa a Christina que aprendi a admirar e quero ver brilhar.

MUDANÇA

Se Claudir cair, quem pode assumir o Planejamento é o ex-secretário Auri Pavoni. Tem um grupo ligado a Periquito que defende o nome com unhas e dentes.

  •  

Deixe uma Resposta