• 17 set 2009
  • Postado por Tiago

FESTANÇA

Para comemorar o aniversário do filho, o construtor Wanderlei Paixão recebeu muitos convidados no “chicoso” condomínio Vila Rica, na avenida das Flores. Para surpresa geral, quem chega quase que de braços dados são o diretor geral da polícia civil, Maurício Eskudlarck, e Edinho Olegário, ex-prefeito de Camboriú.

EXPLICANDO

Não faz tanto tempo assim e o Galo teve que fazer uma viagem de negócios urgentíssima, só Deus sabe pra onde, porque o delegado disse que já tinha o suspeito de ser o mandante dos atentados políticos de Camboriú e que prisões seriam efetuadas. Por essa posição, Maurício foi chamado a atenção em público, em uma reunião do Clube do Cavalo, porque os dois são companheiros do mesmo partido.

PATOTA

A chegada triunfal de ambos provocou algumas reações entre os presentes, mas como um bom uísque importado rolava solto, praticamente todos se conformaram com a situação. Será que tinha gelinho de água de coco? Uns chegaram até a comentar: “só falta a presença do companheiro Floriano Nolasco”. E o Floriano só não foi porque continua preso cumprindo condenação por tráfico de drogas, esperando uma decisão da Justiça, que deve sair em breve, para voltar à cidade.

POSITIVO

Coerente mesmo foi o ex-vereador e empresário da construção civil Jorge Caseca. Imediatamente levantou da cadeira e foi embora. Até ele não acreditava no que via. Como a gente dizia quando era criancinha pequena lá em Lontras: “companheiro é companheiro, fi d´uma é fi d´uma”.

IMPACTO

Algumas coisas ainda me deixam impressionado. Cada vez que ouço o barulho do motor de um aviãozinho de rosca cruzando os céus do Balneário, penso no Floriano; a cada foguetório na cidade, imagino que é o Pavan lançando ou inaugurando alguma obra (exemplo seguindo também pelo Sabino, lá da Tapera), ou é a turma do tráfico anunciando um novo carregamento. Essa última opção está ganhando, e de goleada.

CIUMERA

Dificilmente acompanho as sessões do legislativo de Balneário Camboriú, preferindo assistir aos debates no conforto do lar (essa é mais velha do que andar pra frente), via TV Câmara. Na terça-feira estive presente e vi que os vereadores da situação ficam com dor de cotovelo quando os articuladores do Periquito passam por cima dos governistas e resolvem conversar direto com a oposição, especialmente os tucanos.

GUARDA

Foi o aconteceu. Cumprindo um acordo firmado, o presidente Moacir Schmidt (PSDB) colocou em votação o projeto que altera a estrutura da Secretaria Municipal de Segurança Pública, que na prática é a criação da guarda municipal armada e pronta para atirar. O articulador político do governo, Marcos Weisshemer, temendo uma derrota no plenário, o que seria desastroso, ligou diretamente para pelo menos três vereadores da oposição (Tatá, Zé Hannibal e Moacir) implorando que alguém pedisse vistas da proposta.

VISTAS

José Hannibal (ainda no PP, e diz que não sai nem sob tortura) abraçou a causa e pediu para rever o projeto. E não poderia ser diferente. Como é que uma questão como essa seria votada antes mesmo da audiência pública que somente estava marcada para o dia seguinte?

CHATEADO

O Zeno Saut, por exemplo, foi um dos que estavam na Câmara para ver como essa história terminaria. E tinha muita gente na plateia com a mesma expectativa, inclusive vários membros do time de confiança do Periquito, que não sabiam que a estratégia adotada tinha sido outra.

EXPLICANDO

Aproveitando o embalo, o secretário de Segurança, Nilson Probst, tentava explicar números e benefícios que a GM traria para a cidade. Até lembrou da polêmica quando o governo federal resolveu municipalizar a saúde e a educação. Ele acredita que esse será o mesmo destino da segurança.

ELOGIO

Em um raro momento, ouvi vereadores elogiando o secretário de saúde, José Roberto Spósito. Tudo porque ele, que já tinha recusado em favor de qualquer outro município, voltou atrás e resolveu ir à luta na tentativa de recuperar a unidade de pronto-atendimento que o Dado Cherem tinha reservado para Balneário Camboriú. E vai conseguir, porque felizmente o Dado não é vingativo. Fosse outro e teria mandado o Spósito catar camisinha usada no lixão da Canhanduba.

MENOS CAFÉ

Aumentou substancialmente o número de projetos de lei incluídos nas sessões plenárias da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú. Nos bastidores o comentário é de que o tucano de bombacha Moacir Schmidt mandou um recado curto e grosso para a assessoria: menos cafezinho com leite às custas do povo e mais trabalho, xiruzada. Só na reunião de terça-feira 10 projetos estavam na pauta.

ESPERANDO

E o presidente da Câmara tem toda a razão. Vi o desespero da Retti Jane Popelier (Casa da Criança) que esperava que um projeto suplementando recursos do Fundo da Infância fosse votado para receber o repasse da prefeitura e cobrir a folha de pagamento dos funcionários à disposição da instituição. Infelizmente não entrou na pauta da terça.

INFÂNCIA

Tinha gente que pensava que podia mandar e desmandar acima da lei. Embora de maneira sutil, os superiores mandaram baixar a bola. Estou para ler a cópia da decisão e voltarei ao assunto. Tem problema relativo a adoção de crianças no pedaço. Meninos e meninas retirados do convívio da família…

FESTIVAL

Paira no ar a denúncia de um verdadeiro festival de horas extras na prefeitura. Só em determinada secretaria, pelo menos 14 apadrinhados estariam sendo beneficiados.

SAIU

Sérgio Gentil Pereira não é mais o diretor da Divisão de Gestão de Pessoas da prefeitura do Balneário. Colocaram o professor em uma diretoria de fiscalização. Pela competência, bem que gostaria de vê-lo à frente da secretaria da educação. Para o lugar do Sérgio Gentil nomearam o companheiro Alcides José Fernandes Andujar.

A PEDIDO

Elton Garcia, empresário e diretor de obras da prefeitura do Balneário, está recebendo os parabéns. Tudo porque, depois das fortes chuvas da semana passada, na mesma hora em que acontecia o problema, estava ele no local com uma equipe para desentupir as bocas-de-lobo que provocaram alagamentos nas ruas próximas a Igreja Santa Inês e ao camelódromo da rua 1400.

CADEIÃO

Moradores do bairro da Barra não estão satisfeito com a iniciativa do prefeito Edson Renato Dias em transferir para o antigo terreno do campo do Alberto Pereira (equipe do Barra Sul), cerca de 200 famílias desalojadas do loteamento Dona Denise e outros de áreas de risco da cidade. As casas serão amontoadas em lotes de 4,5m de frente por 15m de fundo. “Tão querendo fazer um cadeião aqui”, disse Sérgio Silva, presidente da Associação de Moradores.

PRESERVAÇÃO

E o Sérgio lembra que o Ministério Público mandou tirar os cortadores de pedra para preservar o morro e a mata nativa. Agora a prefeitura vai construir cubículos em local que também é considerado área de preservação.

INFRAESTUTURA

O presidente da Associação de Moradores da Barra denunciou que o bairro não tem infraestrutura suficiente para receber mais de mil novos moradores. Lembrou que hoje já tem criança em idade escolar tendo que se locomover para o Estaleiro e Nova Esperança para ter direito de acesso à educação.

  •  

Deixe uma Resposta