• 22 dez 2009
  • Postado por Tiago

DERRADEIRA

Doze projetos estão na pauta da última sessão ordinária da Câmara do Balneário nesta terça-feira. Com a votação do orçamento, os nobres edis estão quase livres pra curtir as festas de Natal e reveillon.

PORÉM

Ainda existem muitos assuntos pendentes no Legislativo. Afinal de contas foram quase 220 projetos apresentados. Assim sendo, se o prefeito Edson Renato Dias entender, podem acontecer reuniões extraordinárias, mesmo no recesso regimental.

SEM EXTRA

O detalhe técnico: ao contrário do que acontecia anteriormente, as sessões extraordinárias não terão mais fins lucrativos. Pelo que consta, esta regalia que, em muitos casos equivalia ao 13º salário, foi cortada do regimento.

LEMBRANÇA

No período regimental, a Câmara obrigatoriamente se reúne oito vezes por mês, às terças e quintas. Antigamente eram somente seis sessões. E o recesso também foi reduzido. E sabe quem propôs? Foi o então vereador Sidnei Gonçalves que apesar de todo o trabalho não foi reeleito. Hoje ele e o Jorge Cachel (que foi vereador em três oportunidades e presidiu a Câmara) estão acomodados na tal da Cosip – Contribuição do Serviço de Iluminação Pública.

NOVA CPI

Vai ser discutida nesta terça a criação de uma nova Comissão Parlamentar Especial. É a CPI dos Créditos Tributários. Será a segunda depois de mais de 15 anos no parlamento do Balneário. Deveria acontecer, mas acredito que não será aprovada pelo plenário.

RECADO

É que os vereadores da oposição já haviam dito que uma nova CPI somente seria possível após o término dos “trabalhos” da Comissão do Hospital Santa Inês. Claudir Maciel, ex-secretário do Planejamento, quer ver as coisas acontecendo simultaneamente.

DISPUTA

Analisando friamente, se de um lado a oposição acredita que com o dinheiro repassado hoje para o Santa Inês daria (e ainda sobraria) para abrir o Hospital Municipal Ruth Cardoso, a situação esta crente que os mais de R$ 30 milhões que foram deixados de cobrar em impostos seriam suficiente para resolver os dois problemas.

NA BOA

E o projeto de resolução criando a CPI foi colocado na pauta pelo presidente Moacir Schmidt sem nenhum problema. Não precisou de qualquer decisão judicial. A bancada da situação já tinha preparado o pedido que seria encaminhado à justiça.

SAIU

E querida Carol não está mais estagiária da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal do Balneário. Só agora soube da notícia. Péssimo para o Fernando Carnevalli, o atual assessor. Já ocupei a função por cinco anos (na presidência da Remi da Silva Osório, do Paulo Corrêa e do Jorge Cachel), como o Eucil Silva, o Bola Teixeira e o Tigrão Pereira, e todos sabemos como é difícil cobrar o escanteio e ainda tentar cabecear para marcar o gol.

APOSENTADORIA

Ainda não pensei em tal hipótese, mas financeiramente até que seria uma boa. Mas foi num dia 19 de dezembro do longícuo ano de 1972 (no milênio passado, pode?), então com 15 anos de idade, que comecei neste treco de imprensa. Sem contar os quatro anos anteriores em que também trabalhei na área, como entregador do jornal A Nação (de Blumenau), filiado aos Diários Associados.

ANIVERSÁRIO

E fico feliz quando recebo do Olavo, filho do Carlinhos Realli e manda-chuva da Rádio Brasil Novo de Jaraguá do Sul, o convite para participar das festividades dos 20 anos, comemorados hoje. Estivemos por lá, junto com o Vilmar Corrêa, em 1989, na primeira equipe da emissora.

PRESO

Lucas Ricardo Spernau, filho do ex-prefeito Rubens, continua sob custódia da polícia. A juíza de plantão do Balneário negou pedido de liberdade e o advogado Álvaro Machado recorreu ao Tribunal de Justiça. A decisão do TJ deve sair nesta terça-feira.

ACIDENTE

Não quero entrar no mérito da ocorrência, abordada com todos os detalhes por este bocudo DIARINHO. O que gostaria é que não transformassem o caso em fato político. Solidarizo-me com a família das vítimas. Conheci o Gaúcho, taxista morto no acidente. Mas o erro do filho não pode ser debitado das virtudes do pai.

EXPERTO

Nessas quase três décadas de experiência política (começou em 1982, como vereador pelo PMDB), o vice-governador Leonel Pavan acumulou experiências. Foi prefeito, em três oportunidades, deputado federal e senador. Quando pipocou a denúncia de corrupção, ele começou a estratégia de defesa.

AGUARDANDO

Pavan preferiu postergar a assunção ao governo do Estado para continuar preparando a defesa. Caso assumisse, o processo iria pra Brasília e o resultado mais demorado. Como vice, a decisão fica em Santa Catarina e deve sair mais rapidamente.

RENUNCIA

De qualquer forma Luiz Henrique da Silveira renuncia ao cargo em abril para concorrer ao senado. A saída não é porque o LHS é bonzinho não. É questão legal. Ele tem que abandonar ao cargo para disputar a nova eleição.

ASSUME

Se não for considerado impedido pela Justiça, Pavan assume obrigatoriamente como governador e pode até disputar a reeleição. Caso contrário, na linha sucessória, estão o presidente da Assembleia e, no impedimento deste, o presidente do Tribunal de Justiça.

PERDEMOS

Acreditava que depois de muitas décadas de expectativa teríamos, com Pavan no governo, o início das obras do nosso centro de convenções. Espero que o LHS autorize o projeto. Se ele ficar para depois de março, devido a legislação eleitoral, poderemos ficar de fora novamente.

MORDIDA

Lá pras bandas da Serra Catarinense, quando o companheiro Servílio Ferreira estava meio torto das pernas (mais quebrado que arroz de terceira), mandava um recado curto e grosso pro Toínho, prefeito da Palmeira: “meu sabiazinho não ta nem cantando mais. Ta faltando um alpiste”. E sempre sobrava uma quirera pra engrossar o caldo do radialista.

RAÇÃOZINHA

Aqui pras bandas do Litoral a mordia é diferente. A cachorrinha com pedigree precisa de uma ração especial, ou até mesmo uma nova coleirinha de ouro, pra posteriormente ser penhorada na Caixa.

ATACOU

Me chocou a forma vulgar como o dito cujo (o do litoral) mordeu o diretor administrativo do Hospital Santa Inês, o também não tão puro Eroni Foresti. O programa “rasgando seda” foi reprisado nesta segunda-feira, exatamente quando a cúpula da TV Mocinha estava passeando (e gaguejando) lá pras bandas dos “states”.

MESMICE

E a tática é a mesma, já usada no Hospital Santo Antônio da “loira e bela Blumenau”. Pior que tem figurão (da política e da polícia, inclusive) que se rende aos caprichos da nefasta figurinha.

ALEGRIA

Mas ainda continuo dando gostosas gargalhadas quando revejo a imagem da “criaturinha” elogiando o ouvinte “Thómas Turbando Pinto”. Se você também quiser rir é só acessar o endereço http://novablumenau.blogspot.com/2009/04/humor-video-apresentador-descuidado.html

  •  

Deixe uma Resposta