• 28 jan 2010
  • Postado por Tiago

PODEROSA

A advogada Retti Jane Popellier assumiu, de direito e de fato, a presidência da subseção da OAB de Balneário Camboriú. Foi uma entrada triunfal, digna de qualquer imperador (grego ou romano).

PODEROSA

Pela terceira vez chega ao mais alto cargo da instituição em Balneário Camboriú. Não fossem os “acertos” de última hora, deveria estar comandando a instituição estadual (pelo menos é o que eu penso).

NO TJ

Já imaginou a Retti no TJ? Com certeza muitas sentenças teriam um outro parecer. Mais próximos da nossa realidade, e sem tantas frescuras como acontecem hoje.

DIFÍCIL

“Esta ação constitucional erige-se em instrumento processual destinado a tutelar a liberdade de locomoção, não comportando o exame aprofundado, a discussão a valoração da prova que, joeirada, superficialmente, indica a participação do paciente na empreitada delituosa”. Você entendeu? Nem eu, que sou mais novo… Mas é a justificativa de um despacho do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

LEIGO

Retornando ao fato de sermos (e é a maioria dos nossos queridos leitores) leigos, continua a chamada justiça (estou escrevendo com letra minúscula por entendê-la, aqui, desta forma), dependentes, talvez, de uma “advocacia voluntária”.

ADMINISTRATIVA

Tirando a frescura de lado, Retti foi direto ao ponto. Denunciou a nomeação de advogados para funções fora de época ou sem consulta aos demais membros da diretoria da OAB. E tem aqueles que são comissionados da prefeitura e são nomeados pela OAB para participação em comissões.

DEMOCRACIA

Retti lembrou que os três candidatos a presidente da seccional da OAB de Santa Catarina foram convidados para exporem as suas propostas, tendo somente comparecido os candidatos da oposição estadual, Tullo Cavalazzi Filho e Marcus Antonio da Silva. Paulo Roberto de Borba, o candidato da situação, não compareceu nem mandou representante para fazê-lo.

CONCLUSÃO

Sempre entendi a OAB como o último recurso da sociedade para ver buscados os seus direitos comuns e legítimos. Acredito, com a Retti e os integrantes da nova diretoria, que isso será possível. Não sou sapo, mas se depender, a lagoa está aí mesmo. E é grande, muito grande.

PEDOFILIA

Enquanto isso, na cidade das pedras, parece que a denúncia de pedofilia vai sobrar pra uma pobre coitada, que não tem computador e muito menos máquina digital em sua residência. Mas, se o fez, atendendo pedido de alguém, que também seja punida de forma exemplar.

VOLTA

É muito bom que a prefeita Luzia volte, na segunda-feira (1º), botando ordem na casa.

MUDOU

E o jovem bacharel de direito Fábio Osório não é mais o titular da Delegacia da Comarca de Camboriú. Quem está em seu lugar é o Rodrigo Coronha. Espero que pelo menos ele saiba onde pegar na “coronha”.

INCLUSÃO

Acontecendo a adesão dos “democratas” à administração periquita, alguns pontos começam a ser levantados.

DIVISÃO

Na partilha das “capitanias”, hereditárias ou não, quem teria preferência? O PR, que rompeu com a administração anterior para dar a vitória ao prefeito-ave, ou o DEM, que apoiou a oposição?

PROSTI

Amigo meu (e mui) escreveu para lembrar a “história” daquela bela senhorita, bronzeada, de biquíni (um tesão) e que vivia assediada por aquele endinheirado (e outros coroas também). Nunca deu bola pra nenhum deles, até que a proposta de R$ 1 milhão foi feita.

ACEITA

“Tranquilamente, neste valor, eu saio com você”, disse a bela mademoisselle. E o imoral foi logo dizendo: “hoje só posso pagar R$ 100”.

RESPOSTA

“Você acha que eu sou uma perseguida pelo Dr. Rosan e o Ministério Público e faço programa na avenida do Estado?”, disse a moçoila indignada com a contra-proposta.

CONTRA-RESPOSTA

“O que eu sei é que a questão é acertamos o preço”, respondeu de pronto o imoral.

DECISÃO

Assim é o Democratas (a sigla é DEMO). O convite para mudar de lado já está feito. Resta saber se a mudança será por uma, duas, três, ou quantos cargos comissionados.

SEM ACORDO

Monitoras das escolas de ensino infantil (creches) do Balneário cruzam os braços hoje. Reivindicam uma reestruturação de cargo e salários. Devem voltar à ativa nesta sexta.

AMENIZANDO

Administração municipal ainda tentou evitar o movimento, protocolando uma resposta na Câmara para que a Comissão de Educação do Legislativo intermediasse um acordo. Seria para ganhar tempo, porque a administração não pretende ceder.

  •  

Deixe uma Resposta