• 09 dez 2009
  • Postado por Tiago

O corpo de Günter foi achado pela faxineira da casa, que não teve o nome revelado. A moça chegou de manhã cedinho pra trabalhar e estranhou o fato do tiozinho não atender. Ela ainda tentou forçar a porta, mas não conseguiu abrir. Pra piorar, sentiu um cheiro de podre saindo de dentro do apartamento do nono andar.

Desconfiada que poderia estar acontecendo alguma coisa, passou a mão no telefone e chamou a equipe de investigação da polícia civil da Maravilha do Atlântico Sul. Os investigadores não perderam tempo e abriram a porta com a ajuda de um chaveiro.

A família da vítima, que vive em Blumenau, contou pros puliças que o aposentado não dava sinal de vida desde sábado. Ele morava sozinho e costumava passar os fins de semana no apê do Balneário. Tinha dois filhos, mas um deles vive na Alemanha e a a filhota mora na terra dos alemóns catarinas.

Apesar do nome estranho, Günter era brasileiro e cheio da nota. O zelador do prédio, que não quis se identificar, estava muito emocionado na manhã de ontem. Aos prantos, disse pra equipe do DIARINHO que Günter era um sujeito que não tinha broncas com ninguém e era um homem muito bacana. “Era um grande amigo que não deveria passar por isso tudo”, lamentou.

  •  

Deixe uma Resposta