• Postado por Tiago

O empreiteiro Ezequiel Gorll, 50 anos, de Camboriú, anda cabreiro com a construção de 200 casinhas populares que tá rolando no bairro Cedro. Ele conta que foi contratado pra fazer as fundações das baias e um muro, e mandou seus funcionários pra darem conta do serviço. O trampo teria começado em abril, mas até agora ele não viu a cor do dinheiro. “É uma confusão. Nem consigo falar com a pessoa que faz o pagamento”, siqueixa.

O empreendimento, que tá sendo feito pela associação habitacional Brasil cidadão (AHBC), de Balneário Camboriú, é financiado pelo governo federal. Famílias que têm renda entre dois e três salários mínimos se inscreveram no programa, que levava o nome de Crédito Solidário, e começaram a pagar parcelas da sonhada casa própria. As prestações são divididas em 20 anos, pra não pesarem muito no orçamento.

Continua na edição de amanhã do DIARINHO.

  •  

Deixe uma Resposta