• Postado por Tiago

INTERNA_14_abre_cego-alexandre-cordeiro_foto-olívia-palito-(1)

Alexandre tá fulo da vida com as empresas sacanas

Um decreto do governador Luiz Henrique (PMDB) que beneficia os deficientes visuais que precisam viajar de uma cidade pra outra não tá sendo respeitado na região. A denúncia é de Alexandre Cordeiro, 31 anos. Ele é cego e diz que tem enfrentado poucas e boas pra conseguir viajar digrátis. ?As empresas têm que cumprir a lei. Não é uma carona, elas têm desconto em impostos com essas passagens?, faz questão de dizer o rapaz.

O decreto é de outubro do ano passado. Em março deste ano, a Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) informou o Departamento Estadual de Transportes e Terminais (Deter) que não teria tempo hábil pra fazer novas carteirinhas para se adequar à nova legislação. Por pura burocracia, a carteirinha antiga só permite viajar digrátis em linhas urbanas.

Lídio Pedro da Cunha, chefão de fiscalização do Deter, diz que encaminhou a todas as empresas um papéli informando que a carteirinha antiga valerá também para a nova legislação. ?Todas receberam o ofício?, garante.

Na prática, diz Alexandre, as coisas não funcionam como deveriam. O último problema rolou no feriado de 1º de maio. Alexandre tentou pegar um latão da empresa Santa Terezinha, de Balneário Camboriú a Brusque. Mas não teve choro nem vela que convencesse o pessoal que vende passagens a reservar pra ele um lugarzinho no busão, como manda a lei.

?Quando tem um fiscal na rodoviária eles obrigam a dar a passagem. Mas como era feriado e não tinha ninguém, a empresa se aproveitou?, acusa. Alexandre entrou em contato com a direção da empresa. ?Eles disseram que não sabiam de decreto nenhum?, afirma.

O DIARINHO procurou a sede da Santa Terezinha, em Brusque. O gerente de tráfego da empresa, Lídio Bueno da Silva, reafirmou que não tinha recebido nenhum documento do Deter. ?Chegou um ofício esta semana, por fax. Mas do original nem sinal?, lascou.

De porta em porta

A Associação dos Deficientes Visuais de Itajaí e Região (ADVIR) tá ciente do problema e tem tomado providências. Ontem, o diretor da entidade, Magno Roberto Figueiredo, esteve na viação Rainha, em Navegantes, pra conversar sobre o assunto. ?Vamos de empresa em empresa pra achar uma solução?, informou.

Na Rainha ficou certo que quem quiser viajar deve pedir a passagem dois ou três dias antes, com apresentação da carteirinha antiga. Magno disse que tá tentando agendar uma reunião com o mandachuva do Deter, Altamir José Paes, pra pedir uma forcinha.

  •  

Deixe uma Resposta