• Postado por Tiago

Gurizão foi mandado pro CIP peixeiro de onde já fugiu inúmeras vezes

A população de Itapema e região pode respirar um pouco mais aliviada. Foi em cana na noite de segunda-feira o bandidomirim mais procurado da área. M.A.G., 17 anos, o Craca, acusado de matar desafetos, assaltar casas, amarrar as vítimas e furtar cargas valiosas. Na madruga, ele ainda tentou siscapulir quebrando a porta da delegacia, mas foi grampeado no pulo. O traste foi encaminhado pro Centro de Internamento Provisório (CIP), do Itajaí, de onde já fugiu um montão de vezes.

Pelas 21h30, uma baratinha em rondas viu o gurizote na rua 428, no bairro Morretes. Ele saltou do Gol, placa MBK 4363 (Camboriú), e entrava no prédio 428, quando rolou o atraque. Os meganhas pediram pra ver a identidade do garoto que fez cara de santo e disse não estar com o documento. Se identificou como Marcio Pires de Lima e garantiu ser limpo.

Mas, o minivagabundo já é mais manjado que bunda de dançarina de axé e foi reconhecido pelos fardados. Craca recebeu o teje preso por ser foragido do CIP do Itajaí, onde tava preso por assassinato. Uma baratinha de Bombinhas bateu no local pra dar apoio e levou o garoto pra delegacia.

Os meganhas vasculharam o apê onde o trastezinho entrava. Lá encontraram roupas e documentos no nome do moleque, o que levou os homis a desconfiar que o carinha tava morando em Itapema. Ele, que é de Camboriú, teria saído debaixo das asas da mamãe pra aprontar na city vizinha.

O delegado Carlos Dirceu não acredita nisso. Pra ele, o gurizão só tinha vindo fazer uma visita pra mulé de um colega que vive no local.

Quebra a porta da delegacia

Quatro horas depois de ir preso, um comichão bateu no rabo do bandidinho mais procurado da região. Craca não guentou nem quatro horas enjaulado e tentou siscapulir da delegacia de Itapema na madrugada. Mesmo algemado e com o marca passo nos pés, o dimenor deu uma de trator e passou por cima da porta da sala do delegado de Itapema, Carlos Dirceu.

Como o moleque ainda é menor de idade e não pode ficar trancafiado com os outros 20 homens que se apertam na única cela da DP, recebeu a pulseira de aço e o marca passo nos pés e foi colocado sentadinho no sofá, com o maior conforto. Ficou trancafiado na sala do delegado, pra esperar o dia nascer e ganhar a passagem pro xilindró.

Pelas 2h de ontem, mesmo amarrado, conseguiu jogar o corpo contra a porta e quebrou o treco pra tentar fugir. Por sorte, o policial civil de plantão tinha limpado a zorelha com cotonete e ouviu a barulheira. O homidalei pulou nas costas do liso e segurou o preso antes que ele simandasse.

Craca foi amarrado dinovo e colocado num canto da delegacia até a manhã de ontem. Assim que o sol raiou, o dotô Dirceu finalizou a papelada e devolveu o vadio-mirim divolta pro seu antigo lar-doce-lar o CIP peixeiro.

Especialista em fugas

O bandidinho-mirim número 1 da região não mede esforços pra ganhar a liberdade. Além de uma ficha mais suja que pau de galinheiro, o liso carrega no seu currículo uma lista de debandadas.

No dia três de setembro de 2008, bateu asas e voou do instituto educacional São Lucas, de São José. A fuga rolou cinco dias depois de ser preso acusado de matar um desafeto com chumbo.

O vagabundo de Camboriú é tão liso quanto sabonete e conseguiu siscapar de vários atraques. Só voltou a ser enjaulado em 18 de abril, na casa de mamãe, na cidade da pedra.

Foi levado pro Centro de Internamento Provisório do Itajaí, de onde simandou no dia seguinte por um buraco que cavou na parede da jaula com um bocal de lâmpada. Ele deitou o cabelo em companhia de Jeanzinho, menor também matador.

O CIP peixeiro tão tem estrutura para receber malacos perigosos como o Craca. O local tá com a reforma parada há seis meses e com as paredes caindo aos pedaços. Apesar da fragilidade do CIP e do currículo do minitraste, o delegado de Itapema, Carlos Dirceu, afirma que não teve opção, a não ser mandar o traste pra lá.

Pro dotô, a depê não tem estrutura pra abrigar um preso dimenor do porte do rapaz. Exemplo foi a porta quebrada dentro da delegacia.

  •  

Deixe uma Resposta