• Postado por Tiago

Hidrômetro via rádio individualiza cobrança por apartamentos

GASTANDO-AGUA-02

Um hidrômetro que tem leitura de consumo via ondas de rádio está sendo apresentado aos condomínios e administradores de prédios em Balneário Camboriú por representantes da multinacional alemã Techem. A engenhoca, que promete gerar economia no consumo de água, permite o controle do consumo por unidade dos condomínios e individualiza a cobrança da conta. ?Em todo e qualquer prédio, 70% dos condôminos pagam mais do que deveriam porque os demais gastam muito mais do que precisariam e o hidrômetro via rádio evita essa injustiça?, argumenta Antônio Hid, gerente comercial paras as filiais da empresa alemã no Brasil.

Na grande maioria dos condomínios, a conta d?água é rateada entre os moradores. Com o hidrômetro de leitura via rádio, o controle do consumo passa a ser individualizado. ?Só isso já faz com que quem gasta mais passe a consumir menos?, ressalta Hid, completando: ?Estamos há cinco anos no mercado brasileiro e temos percebido que, em média, a economia no consumo de água fica em 25%?.

No Brasil o aparelho é construído em Recife, capital de Pernambuco. Por isso, garante Hid, não faltam peças no mercado. O hidrômetro tem certificado do instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) e licença da agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), já que usa frequência de rádio para emitir as informações do consumidor.

A Techem vende o hidrômetro, instala e faz o serviço semanal de controle. ?O leiturista nem precisa entrar no prédio. O aparelho emite informações até 500 metros?, explica Rubens Saade, representante da multinacional em Balneário Camboriú. Como a onda de rádio é codificada, não haveria problema de fraude ou interferência.

O equipamento, diz Rubens, ainda detecta qualquer modificação no sistema e no fluxo de água. Vazamentos, gatos e interrupções de fornecimento são percebidos e informados no relatório mensal que os síndicos ou administradores de prédios recebem.

Balneário Camboriú seria a primeira cidade de Santa Catarina a ter instalados hidrômetros via rádio em prédios. Em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, esse tipo de tecnologia já é utilizado em edifícios residenciais e comerciais.

O custo não é alto. O equipamento para prédios em construção pode variar de R$ 80 a R$ 380. No caso de prédios antigos, onde a instalação precisa ser refeita, pode chegar a R$ 500. Depois disso, o condomínio paga cinco reais por mês para a leitura. O equipamento também pode ser adaptado para o fornecimento de gás.

A natureza agradece

Para Antônio Hid, a individualização da cobrança da conta nos condomínios ajuda a criar uma postura em relação ao consumo consciente. ?A individualização em si não é milagrosa, mas as pessoas têm a oportuniade de rever seus conceitos sobre a utilização da água?, comenta. O gerentão da Techem no Brasil diz que a redução do consumo nos condomínios onde o povão passou a pagar realmente o que consome é em média de 55%.

Outro benefício ambiental é em relação à emissão de efluentes no sistema de esgoto. Menos água usada significa menor quantidade de esgoto na cidade. ?Imagine se conseguíssemos diminuir em 20% a emissão de esgoto em Balneário Camboriú??, comenta Saade.

  •  

Deixe uma Resposta