• Postado por Tiago

INTERNA_13_abre-direita_criancas-estudando-no-salao-paroquial-da-murta_foto-felipe-vt

Uma parte das crianças se aperta numa capelinha da Murta

Quem passa pela rua até pensa que é aula de catequese. Mas a situação é outra e bem crítica. Os cerca de 400 estudantes do ensino fundamental da localidade da Murta, em Itajaí, ainda tão sem escola. Pra não ficar sem aula, os pimpolhos tão empoleirados desde o começo do ano no salão paroquial e na capela da igrejinha católica da comunidade. A escola onde eles deveriam estar abrigados, a Maria José Hülse Peixoto, ainda tá em fase de acabamento e, acredite se quiser, já foi inaugurada no final do ano passado.

Depois de receber a dica de um leitor, ontem o DIARINHO esteve no salão paroquial e viu de perto o improviso durante as aulas. O local tava limpinho, com merendeiras e faxineiras a todo o vapor, mas nem de longe parecia uma escola. Uma escada leva até o piso superior, que abriga a maioria das crianças. Os menores ficam na parte de baixo, dentro da pequena capela, que tem portas de vidro e vista total pra rua.

Dona Marilise de Miranda, 35 anos, acha a situação absurda, mas nada pode fazer. Mãe de um menino de oito anos, que todos os dias vai até o salão paroquial pra aprender a ler e a escrever, disse que já cansou de reclamar. ?Tem dinheiro pra tudo nessa cidade. Mas e a educação? Me revolta saber que pagaram R$ 120 mil pra dobrar roupa e essas crianças aqui nesse aperto?, detona a balconista.

O padeiro José Pedro Silvestre ouviu o que Marilise falou ao DIARINHO e fez questão de completar o pensamento. ?Você já viu essa escada? Isso aqui é um perigo. Aqui só tem criança que não tem noção e sobe e desce isso correndo. Sei que as professoras cuidam bem, mas isso, essa estrutura é uma vergonha, né??, soltou José, pai de dois alunos alojados na paróquia.

O DIARINHO não foi autorizado a bater foto da parte interna da escola improvisada. Um funcionário contou que o local abriga cerca de 400 crianças do ensino fundamental nos períodos da manhã e tarde.

Promessa é pro final do mês

Charles Roberto Petry, engenheiro da prefa responsável pela obra, contou que a escola de ensino fundamental Maria José Hülse Peixoto, que fica entre as ruas Alberto Büschele e Lídia Pruel Peixer, na Murta, está em fase de acabamento. ?O prazo de entrega é no dia 31 de julho?, prometeu.

Charles falou que a escola precisou de portas novas, pintura, parte elétrica e de esgoto. Além disso, esquadrias e pisos tiveram que ser comprados novamente porque foram roubados do local.

  •  

Deixe uma Resposta