• 18 dez 2009
  • Postado por Tiago

Apesar de ser do mesmo partido e da base do governador Luiz Henrique da Silveira na Assembleia Legislativa, o deputado Adherbal ?Deba? Cabral (PMDB) não concorda com o governador em pelo menos dois pontos: a questão da Via Portuária e a proposta de municipalização do ensino fundamental. Deba também fala ao jornalista Fernando Alécio, sobre o vereador Lino, o vice-governador Leonel Pavan e possível acordo com o prefeito Roberto Carlos.

DIARINHO ? O que o senhor achou da reação do prefeito Roberto Carlos (PSDB) diante da negativa do governador em repassar mais valores para as desapropriações da Vai Portuária?

Deba ? Em primeiro lugar, a reivindicação de Navegantes não deixa de ser justa. Também não sou a favor do pedágio, até porque é um trecho de menos de dois quilômetros. Era um compromisso de governo do PMDB. Vamos reivindicar no governo estadual ou no governo federal.

DIARINHO ? Como está o clima na Assembleia Legislativa em relação a denúncia do Ministério Público envolvendo o vice-governador Leonel Pavan (PSDB)? Há clima para ele assumir o governo?

Deba ? Acho que primeiro temos de dar crédito ao vice-governador, que é da nossa região. Vamos aguardar o processo. O vice-governador Leonel Pavan terá a oportunidade de se defender através de seus advogados. O momento é de cautela. Vamos dar um crédito ao vice-governador.

DIARINHO ? Em entrevista ao DIARINHO, o vereador Lino se mostrou muito insatisfeito com o PMDB de Navegantes, se dizendo ?tolhido? e ?humilhado? e disse que pode vir a mudar de partido. O que o senhor tem a dizer?

Deba ? Não concordo com as palavras do vereador. Todas as decisões que temos tomado dentro do PMDB, têm sido pela maioria. O partido tem sido democrático e quer, claro, que o vereador Lino permaneça no partido, mas obedecendo as regras partidárias, obedecendo o estatuto do partido. Não é a opinião de um que vai prevalecer, é a opinião da maioria. Já fui vereador, já fui prefeito, hoje sou deputado estadual e sempre respeitei a decisão da maioria. Respeitamos o vereador Lino, mas a decisão da maioria é que prevalece.

DIARINHO ? Há comentários de que o PMDB, a partir de janeiro, estaria na base do governo Roberto Carlos. Isto é verdade?

Deba ? Está havendo uma conversação, uma vez que já temos esta conversação na Câmara de Vereadores, onde este ano foi feito um acordo partidário entre o PMDB, PR, PSL e PSDB a respeito da presidência da Câmara. Sobre a aliança, quem vai decidir é o partido, o diretório, é uma questão de a maioria escolher. Eu, neste momento, sou contrário a qualquer aliança, até porque o povo nos colocou na oposição, uma oposição consciente. Eu, particularmente, sou contrário e na posse do novo diretório eu fui bem claro: ?O Deba é contrário a qualquer coligação porque nós estamos na oposição?. Quem vai decidir é o diretório municipal.

DIARINHO ? Qual a posição do senhor sobre o projeto de lei do governo do Estado de municipalizar o ensino fundamental?

Deba ? Eu fui prefeito e sei que neste momento não há condições de municipalizar o ensino fundamental. A maioria dos municípios não tem condições de trazer para dentro de sua estrutura mais despesas. A gente sabe o quanto é difícil a situação dos municípios. Particularmente eu sou contrário e posso dizer a você que toda a bancada do PMDB na Assembleia Legislativa é contrária e já solicitou ao governador a retirada deste projeto. O momento não é oportuno e os prefeitos já se manifestaram através da federação dos municípios que são contrários. Não é o momento de nós colocarmos mais despesa, mais ônus nas costas dos municípios.

  •  

Deixe uma Resposta