• 11 ago 2009
  • Postado por Tiago

Faltam médicos em São José

A falta de médicos impediu que o centro de triagem de pacientes da gripe suína começasse a funcionar ontem em São José. De acordo com a secretária municipal de saúde, Sônia Provin, somente ontem de manhã é que ela ficou sabendo que o remanejamento de pessoal prometido pelo estado não iria acontecer. “Os médicos seriam de responsabilidade do Estado”, explica a secretária.

Segundo a diretora geral da secretaria estadual da saúde, Carmen Zanotto, o encaminhamento de profissionais não rolou pela falta de pessoal em todo o estado. “A nossa expectativa é que o centro de triagem comece a funcionar até quarta-feira em São José”, conta.

Alunos de Odonto sem aula

Tão suspensas até quarta-feira as aulas da oitava fase do curso de odontologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O motivo é que uma aluna tá internada na UTI do hospital Nereu Ramos com suspeita de ter contraído a gripe porca. A estudante viajou ao Rio Grande do Sul e, na semana passada, apresentou os sintomas.

Conforme Inês Beatriz da Silva Rath, coordenadora do curso de Odonto, os colegas da aluna internada tão sendo monitorados. Ontem de manhã rolou uma reunião com os alunos pra esclarecer a situação. “Mas não há motivo para pânico. Porém é preciso que as pessoas adotem os cuidados que estão sendo repassados pelas autoridades de saúde”, comenta.

A pró-reitoria de ensino da UFSC não confirma, mas há o boato de que as aulas do curso de Arquitetura também podem ser suspensas. Durante o final de semana um aluno teria apresentado os sintomas de porquice.

Bispo cancela rituais da igreja

O arcebismo Dom Murilo Krieger distribuiu uma nota nesta segunda-feira em que passa orientações preventivas à gripe suína. As medidas devem ser adotadas pelas 76 paróquias subordinadas aos municípios da Grande Floripa. A meta é evitar que os fieis acabem pegando gripe na missa. “Pedimos que os ambientes da igreja sejam bem arejados, que sejam desativadas as pias de água benta e que sejam evitados os apertos de mãos, principalmente pelos ministros da acolhida. É um gesto de carinho, mas que nesse momento é bom evitar. Durante a cerimônia também orientamos evitar a saudação da paz”, diz a nota.

Dom Murilo diz não temer que estas orientações possam prejudicar a relação dos fieis com a igreja. “São medidas de bom senso. Se cada parcela da população tomar as medidas simples que estão ao seu alcance, estaremos dando uma grande colaboração”, diz o chefão dos católicos na Santa & Bela.

  •  

Deixe uma Resposta