• Postado por Tiago

“A guerra contra o tabagismo só se compara à caça às bruxas. Nunca se viu tanto investimento, até mesmo do exemplar governo, para banir o hábito de fumar. O fumante é marginalizado, discriminado e nenhuma comissão dos direitos humanos o defende.

Ora… Fala sério! Será que o fumo é realmente o câncer da sociedade? Não, não faço aqui apologia ao tabaco, mas questiono por que tamanho esforço não seja feito para inibir o uso de álcool, por exemplo.

Há preocupação de toda a sociedade em relação ao uso de drogas ilícitas, pesadas. E como o jovem se inicia neste caminho terrível? É claro que não passa de um Hollywood (é este que fumo) para a maconha… depois cocaína, crack e tal e tal. O bagulho é usado depois daquela cervejinha básica presente em baladas, em reuniões familiares, em todas as curvas e esquinas de qualquer cidade e até em festa de igreja.

Alguém precisa gritar que o rei está nu… Nunca soube que alguém perdeu emprego, família e a própria dignidade por ser fumante. Também desconheço casos em que jovens de 20 e poucos anos tenham ficado sexualmente impotentes por causa do cigarro. Ahãm!!! Isso o doutor Drauzio Varella não conta… melhor ficar somente no ‘primeiro beijo’ (tema interessantíssimo).

Nas poucas campanhas contra o uso de drogas pesadas, este ‘pequeno detalhe’ não é enfatizado… O álcool, que leva ao consumo de drogas, faz o cara beber, cair… e o pinto que desce redondo não levanta mais.”

Ass: Alice Haag, jornalista

(Transcrito ipsis litteris)

  •  

Deixe uma Resposta