• Postado por Tiago

A puliça civil de Camboriú meteu ontem atrás das grades uma bandida que tava sendo procurada pelos homisdalei do Paraná. Ela é advogada e é acusada de ter passado a perna em uma renca de clientes pra sidar bem. Há alguns anos, a doida tinha resolvido mudar de vida e virou santinha. Ela tava trampando como missionária numa igreja da capital da pedra.

O pedincho de prisão de Vanda Maran Figueiredo, 56 anos, veio da dona justa paranaense, caneteado pelo Núcleo de Repressão aos Crimes Econômicos (Nurse) do estado. As bizolhadas atrás da mulé tavam rolando há tempão, desde que começaram a pipocar os boletins de ocorrência contra ela nas depês.

Os clientes acusam Vanda de ter usado as procurações, que ela recebia da clientela, pra poder representar o pessoal perante a justa, pra embolsar a grana que resultava dos processos que conseguia ganhar. Um dos registros é de uma coitada que contratou a advogada pra entrar com uma ação contra uma empresa de consórcio de carangos, de São Paulo, de quem tinha levado um calote.
A dona justa deu ganho de causa pra cliente de Vanda, mas ao invés de passar a bolada de R$ 7 mil pra pobre, a espertinha ficou com todo o dinheiro. A puliça acredita que a mulé tenha feito o mesmo esquema muitas outras vezes, com muitas outras pessoas, porque vivia feito uma madame, nadando na grana.

Por conta dos rolos em que se enfiou, que lhe renderam uma boa vida, a advogada era dona de uma cobertura, em um prédio chiquetoso da capital paranaense. Também guardava na garagem três carrões, que custavam os zóios da cara.

Só que há alguns anos a mulé tinha desaparecido de Curitiba, e os tiras do Nurse tavam quebrando a cabeça porque não sabiam onde poderiam encontrá-la. Nesta semana, surgiu uma pista de que Vanda pudesse estar vivendo na terra do mármore, numa boa.

Os policiais do Paraná entraram em contato com o pessoal da depê de Cambu e começaram uma caça à trambiqueira. Homis da Diretoria Especial de Investigações Criminais (Deic) e da Central de Operações Policiais (Cop) da capital manezinha ajudaram nas buscas à caruda.

Ela foi encontrada ontem de manhã na baia onde tava morando, na rua Presidente Costa e Silva, no centrão da capital da pedra. Pelo jeito, deve ter batido o arrependimento, porque Vanda tinha mudado muito seu estilo de vida. Ela deixou de ser perua, virou missionária crente e não tem mais nadica de nada da dinheirama que costumava ostentar.

Quem viu Vanda na delegacia não podia nem imaginar que se tratasse de alguém tão bom de lábia. Ela tava desesperada por ter ido em cana. O DIARINHO tentou uma palavrinha e pediu que a mulé contasse sua versão da história. Mas ela fez boquinha de siri e disse que não daria declaração nenhuma. Pros homisdalei, Vanda jurou de mãozinhas postas que não fez nada de errado e disse que tá sendo vítima de uma armação, por conta de uma vingança.

Ontem à tarde, Vanda foi transferida pro cadeião de Balneário Camboriú, onde deve ficar por uns dias. Ela só vai permanecer por aqui até que o pessoal do Departamento de Agentes Prisionais (Deap) paranaense venha buscá-la. A dotôra trambiqueira tem uma vaguinha reservada só pra ela no xilindró da muierada, em Piraquara (PR).

  •  

Deixe uma Resposta