• Postado por Tiago

Para a consultora em recursos humanos Patrícia Raquel, o melhor caminho é o jovem encarar um estágio. Isso, se ele estiver cursando o ensino médio ou mesmo uma facul. Se tiver na universidade, Patrícia lembra que a maioria das instituições tem um setor destinado aos estágios. “As empresas costumam procurar as universidades em busca de bons alunos para os estágios”, diz. Se tiver no segundo grau, a dica é ir direto no Centro de Integração Empresa Escola (Cies). Lá é batata: sempre tem vagas pra estágios.

Outra maneira de entrar no mercado de trabalho é através do programa jovem aprendiz. Para isso, a rapaziada interessada deve estar fazendo um curso técnico. Firmas com mais de sete empregados, desde que não sejam micro ou pequenas empresas, são obrigadas a contratar aprendizes. O percentual mínimo é 5% e o máximo é 15%, dependendo do tamanho da empresa.“E isso já é uma porta de entrada para o emprego formal”, ressalta Patrícia. “Os bons aprendizes tem muita chance de ficar no emprego”, completa.

A consultora também sugere que o jovem espalhe currículos pelas agências de emprego e faça visitas contínuas a elas, sempre fuçando sobre o surgimento de vagas. “Quem não é visto não é lembrado”, brinca. “Visita constante a balcões de emprego das prefeituras e dos escritórios do Sine também podem reservar boas e agradáveis surpresas para o jovem que procura um emprego”, ensina a consultora, que é colunista do DIARINHO e trampa no setor de recursos humanos de uma multinacional.

  •  

Deixe uma Resposta