• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-SEIS---ARQUIVO-p---estupro---Jose-Marciano-dos-santos.jpg

Tarado foi levado pro xilindró, mas acabou solto na porta do presídio

O presídio de Tijucas se transformou no xilindró dos sonhos de todo estuprador. José Marciano dos Santos, preso no dia 15 de junho acusado de abusar de uma moçoila em Porto Belo e deixar telefone de contato, foi solto na porta da cadeia. Como o xadrez não tem ala do seguro, os responsáveis pelo cara decidiram deixá-lo livre. Ontem, o abusador foi em cana dinovo e agora os homisdalei se viram nos 30 pra encontrar uma jaula pra prender o traste.

José Marciano ficou preso por dois dias na cela da delegacia enquanto os policiais imploravam uma vaga pro departamento de administração penal (Deap). A galera do Deap liberou jaula no cadeião de Tijucas. No dia 18 deste mês, policiais civis levaram o estuprador pro xadrez junto com outros dois presos que tavam na depê. Lá, os chinelões detidos por furto e por bater em mulher ganharam vaga atrás das grades, mas José Marciano recebeu um não bem grande. A explicação é que ?não há vagas, dentro do cadeião tijucano, reservada pra estupradores?. Se for posto junto com os outros, o malacabado pode ser torturado e até morto.

Hoje, 340 enjaulados se apertam na cadeia de Tijucas e nenhum tem bronca por estupro. Os estupradores do pedaço são desovados em Blumenau ou Itajaí, pela falta de ala especial em Tijucas. ?Já foi pedida uma ala de segurança, só que o estado não constrói?, explica o diretor do presídio, Gabriel Aristo da Silva.

Com a precariedade, meganhas e agentes prisionais resolveram lavar as mãos. Sabe lá Deus porque, alguém abriu a pulseira de algemas de José Marciano, quando ele estava na porta da cadeira, e lhe deu a liberdade. O cara simandou caminhando pela rua, numa boa.

O delegado Elcio Ferreira bota a culpa na administração do presídio. Garante que os policiais da delegacia fizeram o trampo deles direitinho. Levaram o cara até a cadeia e entregaram aos agentes prisionais. ?Quando eles (policiais) chegaram lá, os agentes prisionais começaram a fazer biquinho. Nós deixamos ele (preso) lá na sala da administração e viemos embora?, contou o delegado.

O diretor do presídio assegura que a façanha partiu dos puliças. ?Ele (policial civil) ligou pro delegado e disse: eu vou soltar. Quem soltou foi ele, não fui eu?, garante Gabriel. O bafafá vai parar na mesa da juíza da comarca, que deverá chamar os caras pra sisplicar.

Depois de tanta cagada, a galera responsável pela segurança na city resolveu se redimir. Ao menos a polícia civil saiu à caça do acusado. Na manhã de ontem, os homisdalei bateram cedinho na baiuca da mãe de José Marciano, pertinho do campo de futebol de Morrinhos, em Zimbros.

O suspeito é tão coisaruim que nem a mamãe quer ele dentro de casa. Ele tirava um ronco deitadão no pátio da baia, quando recebeu o teje preso. José Marciano foi levado novamente pra trás das grades da cela da delegacia. Ele deve ficar por lá enquanto os tiras pedincham novamente uma vaga pro acusado em algum xadrez da região.

Relembre

José Marciano é acusado de atacar uma moça de 21 anos. Na madrugada de 13 de junho, a moçoila e a mãe foram abordadas na rua, quando voltavam pra casa depois de sair de um bailão. Pelo que elas contaram pros puliças, o suspeito teria batido na coitada e a deixado desmaiada, pra fazer a safadeza com a filha.

Quando a mãe voltou a si, ele teria obrigado as duas a levá-lo até a casa delas. Lá, fez safadezas com a vítima por mais quatro horas. Depois da nojeira, deixou seu telefone de contato na maior cara de pau e foi embora. José foi reconhecido e preso dois dias depois do crime.

  •  

Deixe uma Resposta