• Postado por Tiago

O final de semana foi do jeitinho que o capeta gosta. Gilmar Dorneles da Silva, 40 anos, foi assassinado na frente do seu boteco, lá pelas 19h30 de sábado. O comerciante atendia a clientela quando bateu boca com um desconhecido, que lascou o tirombaço fatal. O crime aconteceu na rua Carlos Otto Priess, no bairro São Vicente.

O povão contou pros policiais que Gilmar tava na frente do seu boteco quando um rapaz chegou andando. Os dois trocaram farpas e no meio da discussão o homem sacou de um revólver e, sem dó nem piedade, mandou um tiro na caixa de catarro da vítima.

O comerciante foi socorrido no local pelos paramédicos do Samu e levado em estado grave pro hospital Marieta. Quando deu entrada no pronto-socorro, não guentou o tranco e partiu pra terra dos pés juntos. O corpo passou pela análise dos técnicos do instituto Médico Legal (IML) peixeiro e foi liberado na mesma noite pra família.

O atirador sivirou em pernas logo depois de mandar a azeitonada certeira. A polícia militar foi chamada, vasculhou a região, mas não encontrou nem rastro do assassino.

O povão que estava no local disse pros policiais que o atirador era um rapaz alto, magro, loiro e de cabelos compridos. Contaram ainda que ele aparentava ser dimenor, mas não souberam dizer nome ou pra onde o vagabundo fugiu.

Pra polícia Civil o crime ainda é um mistério. Os tiras querem saber se Gilmar devia algo pra bandidagem ou teria aprontado algo que pudesse motivar um possível acerto de contas.

Também não está descartada a possibilidade de ter rolado uma simples briga de bar que acabou com a morte besta do comerciante. Familiares da vítima e testemunhas do crime deverão ser chamadas nos próximos dias pra bater um papo com o dotô delegado.

  •  

Deixe uma Resposta