• Postado por Tiago

O domingo no Sul da Ilha da Magia não foi só de festa. O projeto Justiça Presente acompanhou a partida final entre Avaí x Chapecoense do campeonato catarinense 2009, realizada no estádio da Ressacada, no bairro Carianos, e teve trabalho  especificamente com os torcedores locais. 

O torcedor M., por exemplo, foi guentado e levado pro homem da capa preta,  após ser flagrado mostrando as partes em plena arquibancada, o que é contravenção penal prevista em lei.  O torcedor aceitou a pena que o representante do Ministério Público carcou e, nos próximos três jogos do Avaí, já no certame brasileiro, se apresentará com uma hora de antecedência na Central de Plantão Policial e de lá só sairá uma hora após o término das partidas do seu clube. No período em que permanecer na central policial, o torcedor não poderá assistir ou ouvir ao jogo, por televisão ou rádio.

Na mesma partida, outro incidente movimentou o Justiça Presente. Outro torcedor do Avaí  foi acusado de prática discriminatória por uma funcionária do próprio clube. 

Ofendida em sua honra, a muié não aceitou qualquer proposta de arrego. O representante do MP mandou então a papelada pra delegacia de polícia para a abertura de investigação sobre eventual prática do crime de racismo.

  •  

Deixe uma Resposta