• Postado por Tiago

Limari1

O Limari deixou o cais do Teconvi, ontem, depois de movimentar 918 contêineres

Os sabichões da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) deram esta semana uma boa notícia pra quem tava desacorçoado com a crise econômica internacional. As exportações catarinenses cresceram 2,1% entre maio e junho deste ano. Esse resultado ajudou a deixar positiva a balança comercial do primeiro semestre em 90,9 milhões de dólares, revertendo a situação negativa dos meses anteriores.

Para o consultor portuário Celso Félix de Lima, o resultado é reflexo direto da retomada da economia em nível mundial, principalmente das regiões que mais importam produtos catarinenses, a América do Norte e a Europa. A vantagem dos exportadores catarinenses, diz Celso, é que trabalham com alimentos e comoditties. Mercadorias desse gênero têm consumo em larga escala nos países que comercializam com o Brasil.

Celso aponta ainda a intervenção dos governos dos chamados países ricos nas economias internas. Esse chute no saco de quem prega a não intervenção do estado na nas questões econômicas, evitou uma bancarrota geral da economia capitalista. ?Agora, basta ter paciência e ficar de olho no mercado?, diz Celso, sugerindo a possibilidade de novos e bons negócios para os exportadores catarinenses que podem ir além da Europa e dos EUA.

Respingou aqui

O crescimento das relações comerciais catarinenses com os estrangeiros já respingou em Itajaí. Ontem, o cargueiro Limari deixou o cais do Terminal de Contêineres do Vale do Itajaí (Teconvi) depois de movimentar 17 mil toneladas de cargas em 918 contêineres.

Com 269 metros, o Limari é considerado um navio de grande porte e sua chegada, ressalta Robert Grantham, diretor comercial do porto de Itajaí, marca a retomada das operações com volumes acima de 800 TEUs.

  •  

Deixe uma Resposta