• Postado por Tiago

INTERNA_base_carga-navio-porto-de-Itajaí_divulgação-ronaldo-silva

Queda nas exportações acaba sobrando pro porto e pra economia de Itajaí

Tá enganado quem acha que a crise econômica internacional já foi embora. Basta ver os dados das exportações catarinenses, que em setembro apresentaram queda de 2,6% em relação a agosto. Se for levar em consideração os nove primeiros meses deste ano, a situação fica ainda mais feia. A retração na venda de produtos aos gringos foi de 27,1%.

Os dados são da federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). Os sabichões da federação tão preocupados, já que o estado tá comprando mais do que vendendo pros estrangeiros. É a tal da balança comercial negativa. A diferença entre o que compramos e o que vendemos chega a 231 milhões de dólares.

Henry Quaresma, diretor de relações industriais e institucionais da FIESC, diz que a desvalorização do câmbio e a redução das demandas internacionais foram as principais responsáveis pela nova queda nas exportações catarinas. ?Os Estados Unidos, importante parceiro comercial de Santa Catarina, registraram neste ano redução de 40% nas exportações, e isso tem grande impacto no valor total dos embarques?, explica.

A queda nas exportações afeta diretamente a economia de Itajaí, já que o porto peixeiro é o principal escoador das mercadorias catarinenses. Menos movimento no porto significa menos trampo pro pessoal da estiva, dos arrumadores e pros motoristas de transporte de contêineres. Com menos dinheiro no bolso, os trabalhadores compram menos no comércio local. Até o cara da carrocinha de cachorro-quente que fica na frente do porto sente o drama.

  •  

Deixe uma Resposta