• Postado por Tiago

A ausência da família é a principal causa dos crimes que envolvem jovens em Itajaí. A constatação é das autoridades que lidam com violência de menores no município. Só este ano, nove das 37 vítimas de assassinatos registrados no município tinham idade inferior a 21 anos.

A professora de Direito da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Marciane Zimmermann Ferreira, explica que a ausência da família no crescimento da criança pode fazer com que os jovens entrem no mundo da droga. “A falta de opção também é um dos fatores que faz com que os menores caiam no tráfico”, explicou a professora. Marciane destaca que os dimenores escolhem o caminho mais fácil para conseguir dinheiro e prestígio. “Eles veem o traficante como um ídolo. Todos querem ser como eles.”, completou a professora.

O secretário de Segurança do Cidadão de Itajaí, Carlos Ely, concorda com a professora universitária: “A família abandonou a formação de caráter e personalidade dos filhos”. Carlos Ely considera que, atualmente, os pais deixam toda a responsabilidade para as escolas, que não dão conta de educar as crianças. “É preciso que os pais tenham a responsabilidade de formar os filhos. Não adianta só fazer e jogar no mundo”, acrescentou o secretário.

Ao mesmo tempo em que algumas famílias não tão nem aí para a pirralhada, têm outras que superprotegem e acabam atrapalhando. “Os adolescentes estão cometendo crimes até na escola por motivos fúteis”, falou a delegada Honorata Cachoeira, responsável pela delegacia da mulher, criança e do adolescente de Itajaí. A dotora explica que a violência tem crescido dentro da escola e o jovem está agredindo por pequenas causas. “Tem quem briga por causa de namorados; abobado que não gosta do outro ou atritos entre famílias”, disse a delegada. Honorata diz ainda que tem os aborrescentes que brigam porque têm um sentimento de proteção dos pais.

Mortes

Das nove mortes registradas entre jovens no Itajaí, apenas uma não tava relacionada com algum tipo de crime. Dione de Oliveira Acosta, 17, Kendi William Barbosa, 19, Josilene Chaves, 21, Diego Rodrigo de Medeiros Sutil, 20, Luís Paulo Willwock, 21, Marcos Teixeira Rocha, 20, Maicon Aurélio Pedroso Maia, 17 e Lucas Willian Costa, 18, foram mortos por acerto de contas com o mundo das drogas.

Geovane de Campos, 14, foi o único dimenor assassinado sem estar envolvido com porcariada. O gurizote foi morto por seguranças do Kubanacan, depois de passar a madrugada de 24 de janeiro balançando as tetas na casa noturna.

  •  

Deixe uma Resposta