• Postado por Tiago

A vigilância epidemiológica peixeira começou a correr atrás do preju na terça-feira, quando botou a barnabezada na rua pra instalar as 216 armadilhas pra mosquito da dengue que tavam faltando. Por orientação do ministério da saúde, cada cidade precisa instalar armadilhas em, pelo menos, 10% dos imóveis, mas a conta tava defasada desde 2007. Agora, são 676 imóveis comerciais que serão monitorados semanalmente em Itajaí pra não deixar a larva do bicho se transformar em mosquito.

A armadilha pro Aedes aegypt é feita pelos próprios agentes da vigilância epidemiológica com um pedaço de pneu de moto, madeira e arame. O trabalho de visita aos estabelecimentos começou pelo bairro Dom Bosco e depois segue pro São Judas. A instalação das armadilhas deve terminar até o fim do mês, mas tudo depende da colaboração dos comerciantes. “A gente precisa pedir a autorização do proprietário e não são todos que entendem a importância da medida. Ontem, conseguimos instalar 12 armadilhas, às vezes são nove, às vezes são 15”, comentou a coordenadora do programa, Paula Azeredo de Oliveira.

Paula lembra ainda a população da importância de evitar água parada em casa, lembrando de colocar terra nos pratinhos de plantas, jogar fora a água de pneus, tanques e baldes, além de lavar e tratar a água das piscinas e lembrar de renovar a água dos animais domésticos. “No inverno, a incidência do mosquito diminui, mas é bom nos manter alerta”, recomenda.

10%

Entre os dias 18 e 29 de maio, o número de armadilhas necessárias pra Itajaí foi calculado com base em um novo levantamento geográfico da cidade. Os barnabés identificaram um total de 67.619 imóveis, sendo 55.143 residências, 3.189 terrenos baldios, 8.077 comércios e 1.266 baias de outros tipos.

  •  

Deixe uma Resposta