• Postado por Tiago

Hospital tá com apenas três obstetras

Está escasso o número de médicos que fazem partos em Camboriú. A equipe conta com cinco dotores obstetras que se revezam no plantão, mas dois estão fora e isso tá fazendo o trampo acumular por lá. Até já faltam profissionais pra colocar no mundo os pequenos moradores da Capital do Mármore. Ontem, uma grávida foi transferida de ambulância pro hospital de Balneário Camboriú, pra dar à luz.

A equipe de obstetras de plantão no hospital de Camboriú conta apenas com cinco profissionais. No entanto, um deles está de férias e o outro teve um piripaque no coração no início dessa semana. O afastamento do dotô foi a gota da água pra fazer o serviço ficar capenga no hospital. ?Foi durante um parto. Ele (médico) começou a passar mal. Foi diagnosticado infarto e está internado no SOS Coração?, conta o presidente da fundação hospitalar, doutor Edson Bianor de Lima.

Os três médicos que sobraram têm que se revezar no serviço. Ao invés de trampar de cinco em cinco dias, agora os doutores dão as caras no hospital de três em três dias. No entanto, todos também dão plantão no hospital Santa Inês. Nos dias que estão em Balneário, ficam apenas de sobreaviso. Se caso rolar algo em Camboriú, eles dão um pulo por lá e voltam pro Balneário.

Com o rolo, se o médico de sobreaviso em Cambu estiver atendendo em Balneário, o paciente da Cidade da Pedra terá que esperar. Mas nem sempre é possível, como rolou na quinta-feira. Uma grávida chegou à unidade de saúde pronta pra pôr seu filhote no mundo. Estava em trabalho de parto, mas foi informada pelos atendentes do hospital que teria que ser transferida.

Os bombeiros de Camboriú chegaram a ser chamados pra levar a moça às pressas até o Santa Inês, mas eles nem puderam fazer o serviço porque é preciso haver o acompanhamento de profissionais preparados. Depois de muito rolo e da mulé estar prontinha pra parir, ela foi levada pela ambulância da unidade pro hospital da Maravilha do Atlântico.

O administrador do hospital de Camboriú garante que faz o possível pra resolver o problema. Afirma que até já chamou novos profissionais pra taparem o rombo, mas nenhum interessado apareceu. ?Hoje existe uma grande dificuldade de encontrar ginecologista, obstetra e pediatra. Isso não é só aqui, é nacional?, diz.

Apesar disso, ele não desiste e continua a procurar profissionais pra substituir os médicos que estão fora. Também diz que deixa uma ambulância de plantão especializada pro transporte de pacientes e dá uma ajuda de custo pro hospital que irá receber as mamães grávidas. ?Ninguém tem que esperar ser atendido. É feita uma remoção inter-hospitais acompanhada por profissionais do hospital?, garante.

Apesar do rolo de quinta-feira, Edson garante que foi um fato isolado e é quase improvável que role dinovo. ?Ontem (quinta-feira) foram 15 partos e só um deu problema?, garantiu.

O problema só deverá diminuir de uma vez por todas a partir do mês que vem, quando o médico que está de férias voltar à ativa. O dotô tem que retornar ao posto dia 31. Já o profissional dodói não tem previsão de voltar ao trampo.

  •  

Deixe uma Resposta