• Postado por Tiago

INTERNA-8---fila-no-hospital-pequeno-anjo-(4)

Pronto-socorro fica lotadaço

A solução pra acabar com a muvuca no Pequeno Anjo, por enquanto, não tem data pra chegar. A criação de uma central de atendimento infantil no Itajaí, o que segundo a direção do hospital acabaria com as gigantes filas, depende da disponibilidade de médicos pediatras, hoje em falta na rede municipal de saúde. ?Eu estou impossibilitada de contratar profissionais em caráter de emergência e os 30 pediatras que temos hoje na saúde de Itajaí não são suficientes?, diz a secretária Dalva Rhenius.

A bagrona da saúde peixeira contou que a possibilidade de criar uma central de atendimento da gripe porca só pras crianças já foi estudada e aceita pelo município, mas não tem estrutura profissional pra ser colocada em prática. ?A nossa esperança agora é com o concurso público, que abre seis vagas pra pediatria?, falou.

O concurso público, que permite a contratação de profissionais na área da saúde, vai rolar no domingo na Univali. São vagas pra médicos em praticamente todas as especialidades, pediatras serão seis e clínicos gerais serão cinco. A secretária Dalva Rhenius afirmou que assim que sair o resultado, quer chamar os dotôres de imediato pro trampo. ?A situação é crítica e nós vamos agilizar o máximo que pudermos o chamado desses profissionais?, garantiu.

O triplo de crianças em um dia

No Pequeno Anjo, na segunda-feira, a situação tava caótica. A média de espera por uma consulta médica foi de quatro horas e somente dois médicos atendiam os pequerruchos. O diretor clínico do hospital, dotô José Montoya, contou que 241 crianças passaram pelo local na segunda, três vezes mais do que o normal. ?A maioria dos pais trouxe as crianças por causa dos sintomas de gripe. Posso dizer que dos 241 casos, 85% não precisariam de atendimento no hospital. Somente duas crianças foram internadas porque estavam num estado mais crítico?, afirmou o dotô.

Montoya falou que o decreto estadual prevê a criação das centrais de atendimento da gripe porca nos municípios com mais de 100 mil habitantes, mas a triagem pros pequenos não tá rolando na city peixeira. ?O decreto da central de atendimento inclui as crianças, só que infelizmente sabemos que Itajaí não tem pediatras suficientes. Enquanto isso, ficamos abarrotados?, disse o diretor do Pequeno Anjo.

  •  

Deixe uma Resposta