• Postado por Tiago

INTERNA-9-ABRE--g---Apreensão-Famai

Bichinhos foram soltos ontem

Os fiscais da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Famai) deram um chega pra lá ontem num peixeiro que mantinha em casa 26 pássaros silvestres presos em gaiolas. A descoberta da judiaria na rua Maria Leandra dos Santos, no Espinheiros, rolou depois de uma denúncia.

Segundo os barnabés, o cara que se achava dono dos passarinhos, Edson Rafael Branco, engaiolava os coitados por lazer. Os 26 pássaros são das espécies trinca-ferro, tico-tico, sabiá, sanhaço, saíra, gaturamo, tangará e tiriba, que é muito parecido com o papagaio. Edson foi notificado e a multa será definida pela Famai conforme as espécies. Cada passarinho engaiolado renderá ao tiozinho multas que variam de R$100 a R$500.

Além dos passarinhos, os fiscais encontraram 16 gaiolas, três viveiros e mais dois alçapões. Todo o material foi recolhido e os bichinhos voltaram ainda ontem pra natureza.

Só com autorização

O chefe de fiscalização e licenciamento da Famai, Jonas Pereira, explicou que pra evitar apreensões e multas, quem quer ter em casa um passarinho deve procurar o Ibama pra se cadastrar, receber a carteira de identificação de criador e o anel de identificação para o passarinho. Com a autorização pra criação que só é dada para pássaros que nasceram em cativeiro, não há problema. ?Não importa a quantidade de pássaros, é preciso ter o documento?, disse.

A autorização tem validade por um ano e é chamada de licença de criador amadorista. Além de ter que atualizar o documento anualmente, a cada aquisição de novo pássaro, o criador deverá informar o Ibama.

Jonas orienta os peixeiros que gostam de passarinhos que fiquem de olho na origem das aves quando comprá-las em criadores comerciais. O bagrão disse que é preciso ver se o pássaro está cadastrado e tem o anel do Ibama.

  •  

Deixe uma Resposta