• Postado por Tiago

INTERNA_10_abre_corte-árvores-morro-fazendinha_foto-luz-clarita-(1)

Corte tá rolando na encosta dum morro da Fazendinha

A vegetação d?uma área de morro ao final da rua João Hipólito Gonçalves, na Fazendinha, em Itajaí, tá sendo cortada há pelo menos duas semanas. Os moradores temem que o desbaste possa acabar num deslizamento de terra e denunciam que o corte foi autorizado pela fundação do Meio Ambiente (Famai). Ontem, mesmo depois de ter dado a licença, a Famai embargou o corte da vegetação, atendendo ao berreiro da vizinhança.

Seu Paulo Santana, 60 anos, mora pertinho do morro. Lembra que até Aracuãs (aves nativas do tamanho de uma galinha) apareciam por lá fazendo algazarras. Dona Inês, 51 anos, mulher de Paulo, denuncia que o corte tá rolando na parte superior da morraria, o que é poribido por lei.

O casal quer saber quais os critérios que a Famai utilizou para liberar a detonação da mata. Isto porque eles têm um terreno na mesma altura do morro e, há dois anos passaram trabalheira para poder fazer o replantio no local depois que um incêndio destruiu a vegetação. O fogo foi provocado por um vizinho trapalhão, que foi soltar foguetes no mato.

José Roberto, técnico da Famai, disse que ontem mesmo as atividades na área foram embargadas. Diz o bagrão que a suspensão do desbaste foi uma medida preventiva, que vai valer até que os fiscais do órgão possam ir ao local e avaliar o que foi feito no morro.

Zé Roberto garante que logo depois que assinou o documento esteve no local e verificou que o proprietário tava seguindo a lei e fazendo o corte somente do que foi permitido pelo órgão ambiental.

Parte do terreno, que fica na encosta do morro, é mesmo uma área de preservação permanente, confirma Zé Roberto. Somente os fundos seria a área onde é proibido o desmatamento. Por isso, explica o técnico da Famai, foi liberada a construção de somente uma residência no local. O proprietário teria se comprometido a construir uma casa ecológica, com reaproveitamento de água da chuva e da energia do sol, além de manter boa parte das árvores do local.

  •  

Deixe uma Resposta