• Postado por Tiago

Revolta e tristeza entre os parentes e amigos de Rafael

Aproximadamente 50 pessoas, entre familiares e amigos do jovem Jeferson Luís Chagas de Campos fizeram ontem um berreiro pelas ruas de Balneário Camboriú pedindo justiça. O rapaz, que tinha apenas 23 anos, morreu depois de ter sido atropelado por um bebum, no dia 31 de outubro. O responsável pela desgraça chegou a ser preso, mas ganhou um arrego da dona justa poucas horas depois e vai responder em liberdade. ?Ele destruiu uma família e tá impune?, carcou Graziele Hortêncio, 27, que namorava com Jeferson quando o rapaz sofreu o acidente.

Graziele e a mãe de Jeferson, Roseli Chagas, encabeçaram a passeata, que saiu da praça Higino Pio e passou pelas ruas 51 e 1001, até chegar à avenida Brasil. Ainda abalada com a morte do filho, dona Roseli não quis falar com a imprensa.

Os manifestantes carregaram faixas e cartazes pra conscientizar os motoras sobre os riscos de dirigir manguaçado e para exigir justiça.. ?Testemunhas disseram que o motorista que atropelou o Jeferson tava visivelmente embriagado, mas ele não quis fazer o teste do bafômetro e nem deixou fazerem teste de sangue no hospital. Isso revolta a gente, porque ele tirou uma vida?, lembra Gisele. A preocupação da moça é que a impunidade possa causar novas desgraças. ?Se ele tá solto, pode fazer isso de novo?, afirma.

Joel Ricardo Severino, 33, tio de Jeferson, reforçava a manifestação. ?O que mais nos revolta é a falta de punição, de justiça. Ele era um bom rapaz e teve uma morte muito brutal, estúpida. É revoltante?, desabafou.

Relembre o caso

Jeferson parou seu carro no acostamento da BR-101, pertinho da loja Só Náutica, em Balneário, pra trocar um pneu. Foi quando um carango saiu da pista e o atingiu. O rapaz morreu no hospital. Felipe Reinert foi guentado em flagrante e acusado de dirigir bebaço. Hoje responde o processo em liberdade.

  •  

Deixe uma Resposta