• Postado por Tiago

INTERNA_12_abre_bica-da-família-medeiros-fazendinha_foto-chuck-norris

A fonte fica nos fundos da casa, que agora tá toda murada

Os donos de um terreno na esquina das ruas Artur Torquato Pereira e Donato Pereira, na Fazendinha, em Itajaí, tão impedindo o povão de usar uma bica que há 40 anos anos servia à comunidade. O leitor Luiz Carlos, que mora em Balneário Camboriú e vinha toda semana pra Itajaí buscar água na bica, foi quem deu a dica do fechamento do local. ?Eu pegava água ali há 15 anos. A moradora simplesmente fechou e ninguém mais consegue pegar água?, reclama.

A bica era quase um patrimônio público. O vertedouro fica no terreno da família Medeiros, que sempre permitiu que o povão entrasse para pegar água. A fonte ficou famosa há três anos, quando Itajaí enfrentou problemas com a qualidade da água fornecida pelo Serviço Municipal de Água e Samento (Semasa). A bica era alternativa de água boa e fresca, principalmente pra quem não tinha grana pra ficar comprando água mineral.

O despachante Davi José Teixeira, que mora no bairro Fazenda, já foi usuário da bica. Ele conta ao DIARINHO que já sabia da intenção da família em fechar o acesso ao público. ?É uma pena. Quem perdeu com isso foi a comunidade?, lamentou.

Davi conta que a prefeitura tentou negociar com a família Medeiros a manutenção da bica. Até um projeto de revitalização da fonte foi apresentado. ?Mas eles nunca aceitaram?, afirma o ex-subprefeito do bairro que, mesmo assim, diz entender a situação da família já que a propriedade é privada.

Uma vizinha da rua, que pediu para não ter seu nome divulgado, relatou que nos últimos dias a família Medeiros tava sincomodando demais com a montoeira de carangos e filas de gente que se formava nos fundos da casa onde mora pra usar a bica. ?Vinha gente de tudo quanto é lugar?, disse, lembrando até da confusão com um policial, que queria porque queria levar um pouquinho de água embora na marra, passando na frente de todo mundo.

Donos do terreno não guentaram a incomodação

Veroni José Medeiros, 48 anos, é um dos donos do terreno. Alegou ao DIARINHO que por falta de respeito e educação do povão decidiu fechar a bica. O pessoal que pegava água não tinha dia e nem hora pra chegar. Ele e a família não guentavam mais tanta barulheira em volta da casa onde moram. ?Eles xingavam muito, falavam coisas que não dava nem pra acreditar?, lembra.

O dono do terreno garante que custou pra tomar a decisão, porque ficou com pena das pessoas que usavam a fonte. Mas não teve jeito. Argumenta que uma de suas irmãs fez uma cirurgia pra tirar um tumor do cérebro há poucas semanas e não pode mais se incomodar. Várias vezes enquanto trabalhava, Veroni recebia ligação das irmãs apavoradas com a galera que fazia escândalo pra poder entrar no terreno e tirar água da bica.

  •  

Deixe uma Resposta