• Postado por Tiago

INTERNA-ABRE-PAG-22---s---harlem-globetrotters-foto-rubens-flores-24jn09

Special K joga água no menino, que se assusta enquanto a plateia racha de rir

Uma família de Floripa vai processar o jogador Special K, líder do time de basquete norte-americano Harlem Globetrotters, que na semana passada fez uma apresentação em São José. O motivo da encrenca foi a suposta humilhação que o menino C., de cinco anos, passou perante um público estimado em mais de quatro mil pessoas, na arena multiuso.

Por serem jogadores de basquete, os pais de C. ? que preferem manter o anonimato ? foram com os filhos assistir à partida. De acordo com I., mãe do menino, num determinado momento da exibição seu filho tava sentado bem próximo à quadra. Foi quando Special K se aproximou e teria pego o piá pelo colarinho pra colocá-lo em pé. Assustado, o menino deu um soco nas pernas do jogador, que não contou duas vezes e jogou um copo d?água na cara do pequeno. Special K virou-se e foi pro meio da quadra dar sequência ao show, enquanto a plateia esborrachava-se de tanto rir.

Ficha demorou pra cair

A mãe, que no início também riu com a história, pois achava que o jogador estava brincando com seu pequeno, comenta que só depois caiu a ficha do que realmente rolou. ?Temos vídeos enviados por pessoas que estavam lá e que não gostaram do que viram. Que mostram a forma como ele agiu. Eu não me lembro do que aconteceu depois daquilo, porque fiquei preocupada em atender meu filho?, relata a mãe.

C. chorou muito e prontamente foi atendido por um outro jogador, que o ajudou a tirar o casaco molhado e tentou acalmar o garoto, dando-lhe de presente uma munhequeira. Enquanto o menino chorava, a plateia zombava e Special K e o resto do time já despistavam escolhendo outro alvo pra brincadeiras.

Antes que o show recomeçasse, um homem entrou em quadra com uma lata de cerveja em mãos e jogou o líquido em Special K. O defensor do oprimido foi tirado por brutamontes que faziam a segurança do local. ?Eu não sei porque eu e meu marido não reagimos daquela forma. Ficamos sem ação na hora. Sem saber o que fazer?, comenta a mãe, que agora quer processar o gigante gringo.

Mas o constrangimento foi visível e um terceiro jogador esperou acabar a brincadeira com a outra criança pra voltar em C. Com ele no colo, levou-o ao centro da quadra e forçou um laço de paz com Special K. Como prêmio de consolação, o menino ganhou uma camiseta com o nome de seu desafeto estampado nas costas. ?Na hora que fomos embora que me dei conta do que havia acontecido. As pessoas se aproximaram da gente para falar sobre a humilhação?, diz I.

Ainda de acordo com a mãe, durante o restante do show ela tentou conversar com o menino e explicar a ele que aquilo foi uma brincadeira, mas não teve jeito. O advogado da família está juntando provas pra processar o jogador e também os organizadores do evento. ?Não queremos saber quanto isso vai dar em dinheiro. O que queremos é que outras pessoas não tenham a imagem denegrida diante de milhares de pessoas, como nosso filho teve. Nenhum valor irá cobrir um possível estrago que ele possa ter causado na vida do meu filho?, encerra a mãe.

  •  

Deixe uma Resposta