• Postado por Tiago

A prisão de Lucas simboliza justiça pra parentes e amigos das três pessoas que morreram na trombada. O motorista Cleverson Silva Gomes, filho mais velho do taxista Natalino Amaral Gomes, 52, o Gaúcho, que dirigia o táxi acertado pela caminhonete de Lucas, sabe que nunca mais terá seu pai divolta, mas, com a prisão do guri, acha que a morte não passará em branco. “Ele tem que ser punido pelo que aconteceu. Não é nada mais que justo, e vamos atrás de uma indenização”, disse.

Cleverson é gaúcho e dividia a casa com seu pai há 13 anos no Balneário. Como perdeu seu maior companheiro, já fez as malas e vai voltar pro Rio Grande do Sul, onde pretende tocar a vida como motorista. Já foi taxista, mas depois que seu papai morreu durante o trampo, não quer exercer a profissão.

Quem também se sente um pouco aliviado com a prisão de Lucas é o amigo pessoal de Natalino e presidente da associação de taxistas do Balneário, Ismael Rosa. “Acho que agora a justiça está sendo feita. Quem é culpado tem que ser punido”, lascou.

A reportagem conversou com parentes de Karina da Silva, passageira do táxi e única sobrevivente do acidente, que ainda se recupera no hospital, mas eles não quiseram falar sobre o assunto.

  •  

Deixe uma Resposta