• 30 out 2009
  • Postado por Tiago

A pioneira

A primeira empresa a produzir fraldas descartáveis em grande escala foi a Pampers. O engenheiro Vic Mills, em férias com a neta, acreditou que deveria haver uma maneira melhor de proteger a pele do bebê, além da fralda de pano. Foram três anos de pesquisas até o produto entrar no mercado, em 1959

Fralda boa não vaza nem aperta

No teste da semana, as fraldas baratinhas ficaram parelhas com as careiras

dese-dona-fausta-fraldas

Olá, minha gente colorida desse litoral abafado. Como tão de saúde? Sofrendo com as mudanças do clima? A gente nem sabe mais o que vestir quando sai de casa, meu bom Jesus de Iguape! Se eu fosse como a cumádi Dulce, que sente o vento suli chegar por causa do reumatismo, a friage não me pegava desprevenida. Desse mal ainda não sofro! Meu fraco mesmo é o leite condensado, que deixou meus pneus calibradíssimos neste inverno.

Bom, mas deixa de trololó, que todo mundo quer saber como foi o teste da semana. Foi uma pesquisa porreta, essa que fiz em conjunto com as mamães da redação do DIARINHO. No ano passado e em 2007 rolou um baita baby boom, e todo mundo ficou embuchado. Como a gente sabe o quanto custa e como é importante a fralda descartável na vida das mamães, dei a cada mamãe uma marca pra avaliar, e teve boas e más supresas.

Nos meus tempos de garota, não havia toda a facilidade que tem hoje. Até 1980, usei fralda de pano e calça plástica nos meus filhos, acho que hoje ninguém sabe mais o que é isso. Fralda descartável era coisa de rico. Não preciso nem dizer que era uma tortura lavar as fraldas na mão. O varal ficava uma lindeza, mas quando não dava sol, elas tinham que secar dentro de casa e ficavam com cheiro de cachorro molhado.

Agora, a coisa ficou mais democrática e a fralda descartável se popularizou até nas casas mais carentes. Até porque o chá de bebê ajuda muito. Tem gente que nem precisa comprar fralda até a criança ficar com uns quatro meses, de tanta fralda que ganha. Mas, depois que os presentes acabam, vem a fatura. Tem gente que gasta mais de R$ 100 por mês com fralda, e quem não pode arcar com este custo, acaba comprando aqueles pacotões feitos em fundo de quintal. Não é lá essas coisas, mas dá pro gasto. Melhor que se lambuzar de cocô, é! Acompanhe a seguir a avaliação das mamães e faça sua escolha. Até mais!

Pom Pom: Preço: R$ 13,60 (com 24)

pablo-e-willian

Ficou devendo

O Pablo, de um ano e 10 meses, usou a fralda Pom Pom Noturna. Nunca haviamos testado essa marca e nos surpreendemos positivamente. Ele dormiu a noite inteira com a mesma fralda e não houve vazamentos. A fita adesiva depois de aberta a primeira vez ainda continua com cola. O material da fralda é bem macio. Um ponto negativo é que depois de uma noite inteira, ela ficou bem pesada e o gel ficou um pouco amontoado. Mas aí já era a hora de substituir a fralda. Compraria, sim, pois vale a pena na relação custo X benefício.

Willian Domingues: Looney Tunes

Preço: R$ 10,90 (com 26)

 larissa

fulero

A Larissa, de cinco meses, usou a fralda Looney Tunes. Ela tem tem 7,400 Kg e utilizou o tamanho M que, de acordo com a embalagem, é para bebês de até nove quilos. Mas o elástico apertou muito nas coxas e a altura da fralda também foi pequena.

O gel não absorve o xixi rapidamente, o que provoca vazamento nas laterais. O adesivo não cola se for aberto, o que não permite verificar se a fralda está úmida. Mesmo se ainda estiver seca, é preciso trocar. O elástico de segurança fica apertado, fazendo com que a fralda entre no meio, espalhando as fezes. Não compraria jamais!

Elaine Mafra: Johnson?s básica

Preço: R$ 12,95 (com 24)

supimpa

Testamos a Johnson?s Básica no Davi, de sete meses, durante o dia e à noite, com um sono de cerca de nove horas seguidas sem trocar a fralda. Durante o dia ela cumpre o seu papel, segura o xixi e o cocô por cerca de três a quatro horas sem problemas. À noite, no entanto, a categoria básica da Johnson?s não aguenta sem troca, ao contrário de outras marcas como a Turma da Mônica, que mesmo na categoria básica, dificilmente vaza durante o sono noturno. Um ponto positivo da Johnson?s, no entanto, é que ela é mais macia e tem um adesivo de abre e fecha da fralda bem resistente.

Luciana Zonta: Pampers Supersec

Preço: R$ 5,40 (com oito)

luciana-e-davi

Meia boca

O Joaquim, de um ano e quatro meses, experimentou a Pampers de dia. O elástico das pernas não é muito resistente e fica largo com o passar das horas. Ela também não aguenta muito o xixi e precisa ser trocada com frequência. A fita adesiva deixa a desejar e não dá pra abrir e fechar várias vezes. Outro ponto negativo é o gel, que forma pelotas. Desde o nascimento, Joaquim usa a fralda Pampers Total Confort, que é da mesma marca mas mais sofisticada. A Pampers foi a única que não deu alergia no Joaquim. O modelo tem um bom elástico e raramente vaza. O gel é eficiente, não deixa a fralda pesada e se encaixa perfeitamente no corpo do bebê.

Franciele Marcon: Turma da Mônica noturno

Preço: R$ 16,90 (com 24)

fran-e-joaquim

supimpa

A fralda que a Maria Alice, de dois anos, usou é confortável, antialérgica, o sistema de fechar também é prático e evita vazamentos. Ela ficou a noite inteira sequinha. Só achei que depois de cheia, a Turma da Mônica fica mais pesada do que a Pampers noturna, que é o modelo que ela usa normalmente. Já tá quase na hora da Maria deixar a fralda, tanto que ela já avisa quando faz cocô. Vou tentar tirar no verão, mas não quero forçar, e sim esperar o tempo dela, como recomendou o pediatra. Já comprei uma mini-privadinha. Às vezes, ela faz igual uma mocinha, mas ainda não dá pra deixar sem fralda.

Samara Toth Vieira: Disney da Cremer

Preço: R$ 10,90 com 24.

maria-alice

Ficou  devendo

A Júlia, de 10 meses, usou a fralda Cremer, que cumpriu com o que estava na embalagem. Seu tamanho se adaptou ao peso do bebê. Usou também no período noturno e não vazou, mas o gel ficou bem pesado. O elástico das pernas é firme, porém não machuca. O adesivo de abre e fecha é resistente, dá pra abrir e fechar que não gasta a cola. Ficou devendo por causa de sua cor – desenhos em tons de azul, deveriam ser desenhos em tons mais claros, pois aparece na roupa. Normalmente eu uso a Pompom ou Jonhson, mas poderia comprar a Cremer, já que a relação custo X benefício é boa.

julia 

Vanessa Carvalho

  •  

Deixe uma Resposta