• Postado por Tiago

“Se verdadeiro, já que usual, o ditado popular estimulativo, que a esperança é a última que morre; também interessante seria alongar a vida. Esta longevidade, em produtividade, deve ser precedida de direitos e deveres: individualizados, coletivizados e perenes.
Pois, ao ficarmos apenas e tão somente na esperança por dias melhores, podemos incorrer na inércia do conformismo existencial. Daí, virarmos meros relapsos da história, e o nosso tempo vivenciado se torna por demais grave. Gravíssimo mesmo à nossa e futuras gerações… Assim, pensando inflexivamente, faço votos de um ano realmente 10 a você e aos seus entes queridos… Em suma, a todos nós nesta nova data. Signicativamente!”

Ass: Clebion Miranda

(Transcrito ipsis litteris)

  •  

Deixe uma Resposta