• 24 ago 2009
  • Postado por Tiago

?Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte?, trecho da carta de despedida de Getúlio Vargas, que se suicidou em 24 de agosto de 1954

Prefeito Jandir Bellini (PP) foi lembrado na manifestação de sexta-feira

SEM ADITIVO

O polêmico e ilegal aditivo de 50% exigido pelo consórcio TSSC para prosseguir com a reconstrução parcial do porto de Itajaí está praticamente morto e enterrado. O parecer do procurador-geral do Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Furtado, foi contrário ao aditivo, sugerindo que seja celebrado um novo contrato em caráter emergencial. O julgamento do caso, no TCU, está marcado para quarta-feira. Com isto, ganha força a retomada e conclusão das obras pelo Exército.

DISPUTA ECONÔMICA

?Isto aqui [o complexo portuário de Itajaí] é palco de uma das maiores disputas econômicas do Brasil. É muito dinheiro que circula aqui. O que está se discutindo é se esse mundaréu de dinheiro fica na mão da maioria da população ou fica na mão apenas de terminais privados. É isto que está em jogo?, discursou a senadora Ideli Salvatti (PT) na praça da Igreja Matriz de Itajaí, referindo-se à intenção da superintendência do porto de Itajaí de arrendar o que resta de público no cais.

ESTACAS

Será que o Instituto Militar de Engenharia (IME) já tem mesmo uma posição definitiva sobre a necessidade ou não das estacas de 50 metros baseado apenas na vistoria superficial feita dia 17 no porto de Itajaí? Será que esta questão não depende de análises técnicas que demandam mais tempo? Os militares não solicitaram dados técnicos adicionais ao porto? A redução do comprimento das estacas não requer uma análise detalhada dos boletins individuais de sondagem?

BRASIL FOODS I

A Secretaria de Comunicação da prefeitura de Itajaí informou que o co-presidente do Conselho de Administração da Brasil Foods (BRF), Luiz Fernando Furlan, visitou na terça-feira o prefeito Jandir Bellini (PP) ?para reafirmar a disposição da empresa em manter aqui a sua sede e utilizar o complexo portuário de Itajaí?. Nenhuma novidade. Desde maio já se sabe que a sede da empresa será em Itajaí e que a mesma utilizará os serviços do complexo portuário local.

BRASIL FOODS II

O detalhe é que a Sadia e a Perdigão, empresas que se uniram para formar a Brasil Foods, a maior processadora de alimentos do país, mantêm contrato desde o início do ano com a Iceport, a gigantesca câmara frigorífica anexa ao porto de Navegantes. Logo, quando Furlan fala em ?utilizar o complexo portuário de Itajaí?, naturalmente se refere principalmente à Portonave ? que também tem como cliente a Seara (Cargill), outro peso pesado do setor de alimentos.

PORTÊINERES

Foi festejada a chegada dos dois portêineres adquiridos pelo Teconvi para operar na área arrendada do porto de Itajaí. Os mais empolgados chegam a considerá-los como o início de uma nova era. Do outro lado do rio, a Portonave, que já conta com três portêineres, deve adquirir mais dois até 2011. Assim sendo, em breve uma margem terá dois e a outra cinco. Se portêiner é indicativo de competitividade no mercado portuário, Itajaí estará em maus lençóis…

MAL TE QUERO, BEM TE QUERO

Integrante do consórcio contratado pela Secretaria Especial dos Portos, a Construtora Triunfo tem sido alvo de críticas de membros do PT de Itajaí por empacar a reconstrução do porto ao exigir um polêmico aditivo de 50% do valor do contrato. Em Joinville, por outro lado, a empresa paranaense é muito bem quista entre os petistas. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a Triunfo doou R$ 200 mil para a campanha do prefeito Carlito Merss (PT).

MARCELO WERNER I

A defesa do vereador Marcelo Werner (PCdoB) à representação do PT que pede sua cassação segue a linha de que o fato de ter sido cotista minoritário de uma empresa que mantém contrato com o município ?não revela ato doloso, de má-fé ou tendente a causar prejuízo ao erário?. ?A análise jurídica isenta e responsável destes fatos indica que não foram praticados atos contrários às leis em vigor e à Constituição Federal do Brasil?, defende-se o vereador.

MARCELO WERNER II

O PT alega que o Marcelo Werner foi sócio, até 18 de março de 2009, da empresa Locação Progresso, que tem contrato com a prefeitura desde 2005. Os artigos 29 e 54 da Constituição Federal impedem os vereadores, a partir da diplomação, ?de firmar ou manter contrato com pessoa jurídica de direito público, autarquias, empresas públicas, sociedades de economia mista ou empresa concessionária de serviço público, salvo quando o contrato obedecer a cláusulas uniformes?.

COLLOR E KONDER

Este espaço não é coluna social, mas o dado é curioso: o filho mais velho do senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), Arnon Afonso de Melo Neto, é casado com uma bisneta do ex-prefeito itajaiense Marcos Konder, que governou Itajaí por nada menos que 15 anos consecutivos (1915 a 1930), tendo seu último mandato interrompido pela Revolução de 1930, encabeçada por Getúlio Vargas. Por falar em Getúlio, hoje se completa 55 anos de sua morte.

  •  

Deixe uma Resposta