• Postado por Tiago

Tudo o que poderia dar errado rolou pro Figueira no final de semana. Apático e sem tomar conhecimento da bola, o time perdeu por 2 a 1 pro Duque de Caxias no sábado, no estádio Orlando Scarpelli. O resultado e a vitória do Atlético-GO, pra cima do Juventude lá em Caxias do Sul, tiram do time o sonho de retornar à primeira divisão do Brasileirão no ano que vem. Os resultados da 37ª rodada da Segundona confirmaram Vasco, Guarani, Ceará e Atlético-GO na principal divisão do futebol nacional em 2010.

Num ano em que o Figueira não chegou à final do Catarinense e teve uma participação meia-boca na Segundona, perder a vaga deixou o torcedor emputecido. “De pouco adianta nossa torcida se o resultado de hoje não foi perdido hoje. Foi perdido há algum tempo. Diria mesmo que no ano passado, quando o time perdeu a vaga na Série A e não vimos mudança de postura da direção. Foram más contratações, um técnico que ficou tempo demais fazendo besteira e brigas internas que vieram a conhecimento público”, lamenta Adriana Gomes, torcedora que compareceu a todos os jogos este ano em Floripa.

O pau pegou!

No sábado, uma cena patética rolou durante o almoço no hotel de concentração. Um dos auxiliares técnicos de Márcio Araújo e o supervisor de futebol Baré fecharam o pau. A briga foi por causa da não escalação de um jogador.

Após o desastre em campo, o diretor de futebol Thiago D’ivanenko conversou com a imprensa. Em tom de despedida, tentou justificar a cagada. “Não foi só esse resultado que nos deixou nessa situação incontornável. O fato é que a gente não conseguiu alcançar o sonho que era de todos nós. O sentimento é pior do que no ano passado. Eu sei bem o que o torcedor tá sentindo”, lamentou Thiago.

Os jogadores não conversaram com a imprensa após a partida. Mas pro torcedor, apenas três mereceram consideração. O goleiro Wilson, o volante Roberto Brum e o meia capitão Fernandes foram aplaudidos ao deixarem o gramado.

O jogo

O Duque de Caxias entrou em campo tranquilão enquanto percebia no adversário um nervosismo intensificado pelos mais de 15 mil torcedores presentes ao estádio. Sem criar chances no primeiro tempo, o Figueira melhorou somente nos minutos iniciais da etapa final. Mas deixou a ansiedade tomar espaço novamente e praticamente morreu quando, aos 13 minutos, Gilcimar anotou o primeiro pro Duque de Caxias. Em três minutos, os visitantes ampliaram a vantagem. Leandro Chaves aproveitou lançamento de Gilcimar e não perdoou.

A partir daí a torcida alvinegra apelou pro terrorismo. Gritou olé todas as vezes que o Duque encostou na bola. E foi somente aos 47 que o Figueira marcou. Paulo Sérgio descontou quando não dava mais tempo pra nada.

Faltando um jogo pra completar a competição, o Figueira tem 60 pontos conquistados com 19 vitórias e três empates, mas não tem mais chance de alcançar os quatro primeiros colocados. No final de semana, o time encerra a participação na competição este ano contra o São Caetano, lá no estádio Anacleto Campanella.

  •  

Deixe uma Resposta